Sananda - Decidam Sempre com o Coração

Queridos filhos e filhas do planeta Terra! SOU SANANDA!


Vamos continuar sempre, levando até vocês alguns ensinamentos que possam ajudá-los nesse momento de grande turbulência. Alguns de vocês estão passando por situações bastante difíceis; e que agora nesse momento, sentem que precisam tomar uma decisão, precisam escolher um caminho. E que o caminho que é hoje vivido, não mais lhes atende. Mas é preciso coragem, é preciso ter a certeza de que tomará o caminho certo. Então muitas vezes vocês se perguntam: “Qual a solução, qual o caminho, como agir, como fazer? Para que o caminho que eu escolher, seja um caminho de paz, de harmonia, e de equilíbrio para mim e para todos os envolvidos”. Como encontrar este caminho?


Vocês têm aprendido aqui, e aqueles que leem as minhas Cartas, são apresentados a isso a todo instante; que a cada semeadura existirá uma colheita. Vocês trilharam muitos caminhos até chegarem até aqui. Muitas vidas, não importa se foram aqui ou não foram aqui neste planeta. Cada um de vocês traz uma bagagem, traz uma mala; uma mala de acontecimentos, de conhecimento, de aprendizado, de erros, de acertos, de sofrimentos, de alegrias; todos os sentimentos estão aí dentro. Quando vocês abrem esta mala, não existe uma arrumação, está tudo embolado. É como se vocês tivessem que arrumar uma mala correndo para irem viajar. Em que vocês colocam todo tipo de roupa, tudo misturado, tudo embolado e ao chegar no destino, ao abrir esta mala, ela quase explode de tanta desorganização. E onde encontrar cada coisa?


Não é fácil, vocês têm que parar e começar a separar, cada tipo de roupa num cantinho, para que vocês possam ter noção do que está aonde. Vocês poderiam fazer isto com esta mala das suas vidas? Eu diria que não, porque cada sentimento foi sendo transmutado ao longo do caminho. O ódio se transforma em algum momento, em perdão e amor. A alegria poderá a princípio, lhe trazer muita felicidade; mas com o tempo poderá se tornar tristeza. Então os sentimentos, as vivências, as lições, os erros e acertos, são aquela mala mal arrumada que vocês fizeram rapidamente. Neste momento, o que eu e outros tantos seres de luz estamos tentando fazer? Estamos ajudando vocês a arrumarem essa mala. À primeiro puxar aqueles pontos, onde vocês sabem que ali tem algo que lhe chama a atenção. Pode ser um erro, pode ser um sofrimento, e ao puxar, vocês terão acesso a tudo o que gerou aquilo ali.


Pode ser que num primeiro momento, vocês não reconheçam aquilo como sendo um acontecimento dessa vida; mas traz à vocês, um sentimento que você conhece. Então não importa a origem do sofrimento, não importa a origem do sentimento, não importa a origem do erro, importa que ali tem um problema. É como se aquilo fosse uma roupa que você não gosta mais, e que provavelmente não cabe mais em você. E que se você tenta colocá-la, você ficará e se sentirá muito ridículo com ela. Então é uma roupa que tem que ser eliminada. Mas como já expliquei aqui, não é simplesmente pegar a roupa e jogar no lixo; ou simplesmente, pegar a roupa e dar para alguém. Aquela roupa terá que ser eliminada do seu caminho, mas de uma forma correta.


Doada, vendida, jogada fora, mas de uma forma que você se desfaça dela corretamente. Que não vá impor nada ao outro, que não vá prejudicar o planeta, que não vá prejudicar ninguém; porque você poderá vendê-la, por um valor excessivo do que ela realmente vale. Então traga tudo isso para um sentimento. Então você terá que tratá-lo do jeito que for, da forma que você encontrar, mais tranquila. Pode ser, que você para atuar naquele sofrimento, não encontre uma fórmula tranquila; será um caminho espinhoso, pedregoso. Mas você está disposto a se espetar, a escorregar algumas vezes nas pedras, e trilhar aquele caminho para efetivamente poder dizer: “Me livrei daquilo, aquilo não me incomoda mais!”


O momento atual, com a chegada de tanta Luz, é um momento de pura reflexão interna. É um momento de não mais aceitar as coisas por preguiça de tentar resolvê-las, porque isto não mais será permitido. Chegará um ponto que aquilo que você acha que é o normal, lhe causará tanto desequilíbrio, uma sensação tão ruim, que você terá que tomar uma providência a respeito. Não cabe mais colocar coisas embaixo do tapete. A Luz vai lá e tira.


Então, achar que vocês vão continuar vivendo com os problemas que têm, sem cuidar deles, vocês não conseguirão, porque este problema se tornará cada vez pior. Até que vocês efetivamente parem e tomem uma atitude. Agora, qual atitude tomar? Muitas vezes qualquer atitude de sua parte, poderá prejudicar o outro, poderá magoar o outro, poderá até machucar o outro. Não machucar no sentido físico, mas machucar emocionalmente. Aí eu lhe pergunto: Quem está fazendo a caminhada de limpeza, você ou o outro? “Ah, mas se eu prejudico o outro, isto não está certo!” Depende do seu ponto de vista. Tudo que vocês fazem ao outro, o outro recebe. Ele não é uma peça apenas decorativa, que recebe, e ponto, acabou. Não, ele recebe e emana algo; emana raiva, emana ódio, emana alegria, não importa, ele também tem uma reação.


Então quando vocês têm que tomar uma atitude, e que envolva outras pessoas, não há receita, não há um processo pré-definido. Apenas se encham de muita Luz e de muito amor, antes que vocês falem ou façam qualquer coisa. Quando vocês têm que tomar uma decisão difícil, doída, complicada mesmo, se vocês agem com a mente, a tendência será discussão, brigas, ataques verbais; e posso lhe garantir, nada será resolvido. Você só colocou, como vocês costumam afirmar, mais lenha na fogueira. Agora se vocês se enchem de Luz, se vocês se enchem de amor e simplesmente afirmam para si mesmos: “Estou fazendo isso para o meu bem, e para quebrar esta conexão que eu criei com Fulano; para resolver este problema que eu criei. Que Fulano encontre dentro do coração dele o caminho, a Luz e a verdade, para receber o que vou propor, o que vou decidir, e possamos juntos, ambos, encontrarmos o nosso equilíbrio.”


Vocês fazendo isso, estão dizendo o que para o Universo? “Eu estou tentando encontrar o meu equilíbrio Universo, mas também quero que a outra pessoa que está envolvida no processo, também encontre o dela. Eu não quero apenas eu me equilibrar; nós nos equilibraremos, cada um dentro da sua ótica, cada um dentro do seu jeito”. Então desta forma, vocês estão agindo com o coração, não com a mente. Tudo que é feito com a mente tende a não dar certo, porque vocês tomam as decisões, unilateralmente; e simplesmente dizem: “Fulano que se dane, eu decidi." Ou seja, você poderá até ter eliminado um problema na sua vida, mas vai ganhar outros. Primeiro, porque você não respeitou a consequência que você está causando no outro. Segundo, você está não se importando com o outro; porque você agiu com a mente; você foi egoísta, pensou só em você.


Então, problemas se resolvem com o coração. Nem sempre aquilo que vocês propõem o outro concorda. Mas se vocês colocam tudo com amor, e envolvem a Luz no processo, a Luz envolverá o outro de tal forma, que o outro a princípio poderá espernear, poderá não gostar, poderá reclamar, poderá vibrar. E ao se acalmar, a Luz começará a mostrar à ele, um caminho; que no calor da raiva, do primeiro impacto do que ele ouviu; ele não viu. Mas que a Luz começou a trabalhar nele e mostrou a ele que existe um caminho, e que aquele caminho será bom para ele e para quem propôs o que tinha que propor.


É claro que eu estou aqui, tentando sempre colocar as situações da melhor forma possível. É claro que tem muitas situações que vocês vão emanar Luz, que vocês vão emanar amor, e o outro lado não quererá saber de nada. Porque ele é puro ego, ele não está sendo satisfeito nas vontades dele. De repente você resolveu crescer e ter vontade própria. Como pode? E aí eu lhe digo, se esse não é o momento de você se libertar desse jugo. Será que este não é o momento de você efetivamente dizer: “Para mim chega! Se você não quer me ouvir, se você não aceita o que digo, então não há mais o que conversar”.


E aí é onde muitos de vocês tomam decisões unilaterais. Pensando pelo lado de que você fez tudo certo, você envolveu ele na Luz, você apresentou tudo com muito amor, sem acusações, sem apontar o dedo, apenas mostrando tudo o que é positivo para você. Nunca quando vocês tiverem que tomar uma decisão e que envolva o outro, comece apontando os erros dele. Acabou, você encerrou aí o seu problema e arrumou outros. O foco quando vocês têm que tomar uma decisão e se livrar de algo, o foco é sempre vocês, não o outro. Então nada de falar sobre o outro, o foco é vocês.


Então fale o quanto aquilo lhe fará bem, fale o quanto é importante para você, fale o quanto é significativo para você; para que o outro entenda, que aquela atitude não é nada contra ele. Pode ser que a princípio, ele até lhe chame de egoísta, que você não está pensando nele; e você poderá responder: “Estou pensando em você sim. Porque eu espero que você veja com o coração, tudo que eu estou lhe dizendo”. Você está pensando nele, se você age com o coração e com Luz, você está pensando nele, sim. Porque também é uma oportunidade de crescimento daquele outro. Muitas vezes vocês não tomam determinadas atitudes, por achar que o outro vai se perder no caminho, vai se perder na vida. Então será que não é o momento, daquele outro aprender a viver, encontrar o caminho dele? Não é o momento dele se tornar uma pessoa, que pense nele em primeiro lugar?


Não tem fórmula, não tem receita, não tem um compêndio escrito. Mas é muito simples. Falar com amor, envolver-se em Luz, envolver todos os outros que estão envolvidos no problema, em Luz; falar com doçura, explicar os seus argumentos, não use nenhum argumento dos outros. Quem quer mudar é você, para que usar o outro? “Ah, eu quero mudar, porque para você vai ser bom também.” Não, não, o argumento é seu, você quer mudar porque é bom para você. Pode ser que o outro veja que é bom para ele também, mas não é você que vai entender isso, ele tem que entender.


E não achem que tudo se resume numa só conversa. “Vou conversar agora e tudo está definido (ponto final)”. Aí não, aí vocês estão sendo arrogantes. Tudo são conversas, que são colocadas, pouco a pouco. Grandes decisões não são tomadas de uma única vez, porque aí elas se tornam arbitrárias. Comece apontando, dizendo o que você está pensando em fazer, e veja como o entorno se manifesta. Pode ser que chegue algo até você, que eles lhe digam algo que você não havia pensado; e que você pense um pouco melhor, analise e você vá aprimorando a sua ideia. Você não é dono da verdade. Ser dono da verdade, quando você quer mudar algo que envolve o outro, já começou errado.


Então tudo é uma sequência de conversas, em que você vai colocando sempre o seu ponto de vista. Nunca atacando o outro, nunca envolvendo o outro. Deixe que ele se envolva no seu processo. Se você emanou Luz para ele, tenha certeza de que ele começará a ver de uma forma que chegará a conclusão que será bom para ambos. Mas você deu a chance de ele ver, você não lhe impôs nada; “Ah, eu vou e pronto”. Não, não é assim. Aí sim você está sendo arbitrário, e arrogante e autoritário. Não é assim que se toma decisões. Esse tipo de decisão quando se é só; quando você existe no mundo sozinho. Então o que você fizer, ninguém tem nada com isso. Agora quando você tem pessoas à sua volta, que de certa forma, estarão envolvidas na sua decisão, concordarão ou não, você não pode dizer que... “Eu decidi”. Não, não é assim.


“Eu estou pensando em fazer isso, isso, isso. O que vocês acham?” É claro que você tem que ter a firmeza. Então vamos acrescentar à frase: “Eu estou pensando em fazer isso, em até 3 meses”. Uau! Então você está tá decidido. “Ela não está apenas falando; ele não está apenas colocando uma opinião. Está sendo dito que será feito em até 3 meses. Opa, opa... Então temos que parar e pensar”. Percebem como existe a sutileza nas ações?


O grande ensinamento aqui, mais uma vez é fazer tudo com o coração, nunca com a mente. A mente prega peças, a mente ataca, a mente é egoísta. O coração não. O coração emana amor e esse sentimento é tão poderoso, tão grande, que ele traz a harmonia, não a discussão. Quem traz a discussão são as decisões mentais, não as decisões do coração. Então antes de começar qualquer conversa importante de mudança, que envolva outras pessoas, vista-se de Luz; vista cada uma das pessoas envolvidas que você irá conversar em Luz, antes de qualquer coisa. E exponha os seus pontos de vista. Se a outra pessoa retrucar, falar, não se abale; continue com o coração. “Não, penso desta forma”. Não seja contrário ao que ela está dizendo, deixa ela espernear. Ela vai espernear, vai falar um monte de coisas, e você se manterá no seu centro. “Mas para mim é bom, para mim é o que eu quero, para mim será a minha evolução, para mim será maravilhoso!”. E deixe que a Luz faça o trabalho dela em relação ao outro. Façam isso, façam a experiência.


A desarmonia dentro de uma relação é exatamente porque vocês falam com a mente. Vocês deixam o ego tomar conta, aí tudo dá errado. Aí surgem as mágoas, as ofensas e a relação vai se deteriorando. Agora, quando simplesmente você fala com o coração e o que o outro fala, você não fica retrucando porque é o direito dele falar, você se mantém no seu equilíbrio; a Luz atua, o amor atua e tudo se resolve. Porque no calor da emoção, muita coisa é dita que não é necessariamente a verdade. Mas se você ouve e retruca, a mente é que está falando.


Agora saibam distinguir – até onde vale a pena, vocês ouvirem o outro, se deixarem levar pela opinião do outro, ou se não está na hora, de você efetivamente romper com o outro. Porque se ele não respeita o que é bom para você, se ele não aceita o que é bom para você, se ele não escuta o que você tem a dizer e que seja bom para você; o outro não é bom para você. Entenda isso. E neste momento, peça ajuda à Luz, para se libertar disso tudo. Porque é o seu caminho, é a sua evolução e nada, nada, pode impedir isso.



655 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

CNPJ - 29.898.085/0001-59 - Anjos e Luz Terapias - RJ

Copyright 2020 - Anjos e Luz Terapias - Todos os Direitos Reservados à www.anjoseluz.com