Sananda - Como Você está Doando?

Atualizado: há 3 dias

Queridos filhos e filhas do planeta Terra! SOU SANANDA!


Mais uma vez e não cansarei nunca de dizer isso, é com muita alegria que venho aqui expor os meus ensinamentos, tentar passar para vocês a verdade, a iluminação que vocês precisam neste momento. Estamos observando cada um de vocês, já que tenho esta missão de voltar a colocar as minhas ideias e a Consciência Crística para cada um de vocês. Tenho feito este trabalho junto com o Miguel. Então vocês podem ter a certeza, de que cada um de vocês é acompanhado, passo a passo, minuto a minuto, nas suas caminhadas. Se vocês estão aqui, chegaram por influência nossa; então fazem parte deste grande grupo, fazem parte deste grande conjunto de pessoas, que precisamos cuidar e ter atenção.


Não entendam com isso, que esquecemos todo o restante do planeta, isto não existe. Apenas podemos dizer, que aqui está sendo feito um trabalho, aqui existe uma missão, tão minha quanto de Miguel. E é desta forma que acompanhamos este grupo. E pela observação que temos feito durante estes poucos dias, temos a dizer à vocês que estamos satisfeitos com o comportamento, com o pensar de todos vocês em relação às doações. Mas ainda há muito a aprender, vocês ainda não aprenderam 100% a importância de alguns aspectos. E como a ideia é sempre aprimorar o comportamento, aprimorar o entendimento de cada um de vocês; estou aqui, para ajudá-los mais uma vez, no entendimento do poder correto do que vocês têm nas mãos.


Como já foi dito, doar é um ato de muito amor, mas ele realmente tem que ser representado assim, ele tem que ser representado sem julgamentos, sem críticas, sem nenhuma abordagem paralela para que seja justificado este ato. O ato de doar, como eu já disse aqui, tem que ser espontâneo e sem julgamentos. Não cabe, cada um de vocês, tentar entender, tentar julgar o porquê; porque aquela alma chegou a este ponto; porque aquela pessoa humana chegou a este ponto. Imaginar que ela fez muita coisa errada, que não soube cuidar da sua vida, vocês podem pensar. Agora eu lhes pergunto: vocês estão lá, estão sabedouros de toda a caminhada da pessoa em questão? Não falo aqui apenas, a que está participando deste processo, eu falo de modo geral.


A pessoa está precisando de ajuda; aí vem aquele e esmiúça a vida da pessoa, de ponta a ponta, e cobra dela o porquê? Então eu gostaria de falar sobre isso. A cobrança do porquê, da pessoa estar nessa situação, é um julgamento, é uma crítica e muito profunda. Porque você parou o seu tempo, perdeu um tempo precioso na sua vida, vasculhando a vida do outro. Em vez de você pensar, que você deveria ser grato, por nunca ter precisado passar por isso, você está se preocupando em julgar o porquê, que levou aquela pessoa à isso.


Eu já falei sobre isso aqui, não cabe a ninguém, julgamento. Se você julga, se você não concorda, para que se envolver? Aí você vai me responder: “Para alertar a todos de um possível golpe” Então eu volto a lhe dizer: julgamento. Você sentou no tribunal, apresentou o caso, foi o júri, votou e deu a sentença, foi juiz. Cuidado, cuidado com os seus julgamentos, porque amanhã você poderá sofrer a mesma coisa, e aí você dirá: “Quem me julga, não está na minha pele!” Exatamente, é exatamente isso. Mas você julgou, você perdeu o seu tempo em vasculhar a vida, para emitir a sua opinião, para colocar a pessoa ainda mais para baixo.


Qual foi o seu intuito, ajudar? Realmente foi esse seu intuito? Ou foi colocar a pessoa no seu devido lugar, como vocês costumam dizer? O que você ganhou com isso? Você se sentiu bem com isso? Ótimo. porque você plantou isso e tenha certeza que algum dia, você vai colher esse julgamento. Então eu gostaria que você pensasse a respeito. Eu já disse, Miguel já disse, que tudo que é feito é parte de testes, é parte de lições a serem aprendidas. Muitos entendem, muitos percebem, muitos passam pela lição, mas muitos não. E como eu disse no início desta minha fala, estamos observando todos vocês. Não que iremos fazer algo contra isso, de jeito algum; o fato de observarmos, aqueles que não estão seguindo o caminho adequadamente, é apenas com o intuito de emanar mais amor, emanar mais luz, para que aquela consciência humana aprenda a lição.


Não entendam que com isso, estamos castigando, nem ficando raivosos, porque isto não existe, pelo contrário, estaremos tratando mas ainda essas almas, para que elas aprendam a lição. Vir aqui e expor é para que sirva de ensinamento para todos. Não digo que seja totalmente errado, vocês procurarem conhecer a vida; como no futuro vocês terão entidades para doar, é justo que vocês observem o caminho; é justo que vocês entendam o que aquele local faz, é justo; eu entendo. Mas que isso seja feito com amor, não com busca de erros, não com busca de falhas; e o pior, depois sair apontando uma a uma, para aquele que você está pensando em doar. Isto é julgamento.


Vocês podem até observar, podem olhar, podem tecer os seus comentários, para vocês mesmos. E aí vem aquele logo a seguir aquele julgamento... “Ah, então aí está explicado, porque, que hoje não tem dinheiro.” Olha o julgamento. Você está lá para saber? Você trabalha lá para saber? Você vive o dia a dia daquela entidade para saber? Mas você já julgou. Então eu vou pedir mais uma vez, para os que agem desta forma, para aqueles que não estão prontos, apenas para doarem amor, sem se importar, como e de que jeito, a pessoa ou a entidade chegou aonde chegou neste ponto de pedir. Se você não está pronto para isso, para que participar? Para que crescer mais ainda, sua caminhada de julgamentos?


Se afaste, não participe, simples assim. Ninguém é obrigado a nada, ninguém está obrigando vocês a assumirem ninguém. É um pedido de solidariedade, em que é feito com amor. Quem faz com amor, não quer saber o porquê. “Está precisando; eu tenho para doar, então doarei!”. E pronto, acabou. Volto a repetir: não é injusto que você olhe, que você conheça, que você pense a respeito daquilo ali, sem julgamento. É difícil fazer isso sem julgamento, porque vocês sempre vão encontrar uma brecha para dizer: “Ah, tá vendo é por isso que está do jeito