Sananda - As Vossas Dúvidas e a Internet

Atualizado: há 2 dias

Queridos filhos e filhas do planeta Terra! SOU SANANDA!


Pode parecer repetitivo para vocês, pode parecer enfadonho para alguns, mas jamais me cansarei de ser grato a cada vez que aqui estou; a cada vez que posso trazer as minhas mensagens para tantas pessoas de uma única vez. A tecnologia não trouxe apenas a consciência da maldade, a consciência da violência, a consciência de muitas coisas ruins, que vocês veem. A tecnologia se fez necessária para este momento; ela foi criada para este fim, para que nossa palavra pudesse ser expandida, rapidamente em tempo real, para todo o planeta.


Apenas tudo o que é criado pela Luz é maculado pela não luz; e este meio que seria um meio de amor, de ensinamento, de expansão de consciência, se tornou também um meio abusivo, totalmente fora de controle, causando muitas vezes muitos males à muitas pessoas. Mas devo dizer a vocês que tudo são escolhas. As escolhas que vocês mesmos fazem sobre o quê procurar, o quê ver, o quê ouvir; cada um tem o seu livre arbítrio para saber aquilo que quer, e posso garantir a cada um de vocês que vocês atraem exatamente o que vibra na faixa de vocês.


Então muitas vezes quando vocês começam a procurar determinado assunto, e vêm algo estranho, algo aqui não faz parte daquele contexto, pare e se pergunte: “O que você está vibrando naquele momento?”. Percebam o seguinte: cada pensamento quanto tempo leva? Milionésimos de segundos, mas este pequeno pensamento reverbera, emana uma energia, e aquele meio, ele é muito ávido, muito rápido, muito audaz; e ele lhe devolve, eu diria, exacerbado em muito, exatamente o que você está procurando. Apenas com aquela pitada a mais originada do seu próprio pensamento.


Um outro ponto importante é a eterna busca. Por que vocês não se contentam com pouco? Precisam ter muito, precisam sempre estar lá na frente, poder exibir e falar: “Não, isso eu sei; ah isso aqui também, ah esse outro também”, para encher o ego, mostrar que você é um aluno aplicado ou mostrar que você gosta de se exibir? Então por que tanta procura? Por que vocês não se contentam em ouvir os seus corações? Tantas vezes temos dito aqui: Têm dúvidas? Perguntem a nós e nós lhes responderemos, mas vocês não confiam; nem em vocês e nem em nós.


Aí eu me pergunto, seria porque talvez você não ouvirá de nós aquilo que você gostaria? Será por que nós, na maior parte do tempo não concordaríamos com o que você espera? Ou será que perguntar para o outro, você sempre dá aquele jeitinho de contestar o que ele está dizendo e fazer valer o que você quer ouvir? Então vocês nunca estão satisfeitos. Vocês sempre precisam ouvir aqui, ouvir ali, ouvir acolá; e aí vocês podem tomar uma decisão: qual foi o lugar que respondeu mais aproximado do que vocês queriam ouvir. E isto também é uma tática.


Vocês procuram algo, com um sentimento de dúvida, porque não acreditaram no que foi dito. Então esta dúvida é o bastante para reverberar naquela rede e a rede lhe devolver mais dúvidas, porque quanto mais dúvida você tiver, mas afastado de nós você estará, porque você lá no fundo nunca acreditará no que nós dissermos; porque você tem tantas questões, tem tantos pontos a serem ponderados, que fica difícil acreditar, fielmente e cegamente no que nós dissemos. Este é o ponto.


A tecnologia não é ruim, vocês a fazem ruim. Porque se você busca ampliar o seu conhecimento, percebam o que eu disse: Ampliar o conhecimento; você não está buscando a afirmação do que você já sabe. Você quer ampliar, você quer saber mais, mas não por dúvidas; você quer ampliar a sua consciência e também você não quer sair a partir dali se exibindo para ninguém. Você quer aprender apenas por você mesmo. Perfeito. Você estará colocando na rede um sentimento, dado o conhecimento, e ela lhe devolverá isso, sem dúvidas, porque você não tem dúvida.


Então percebam que tudo acontece em resposta ao que vocês pedem e pensam. Não culpem a rede por tudo o que vocês veem lá e está contaminado. Não, não a culpem, porque se vocês atraíram aquele vídeo, aquele áudio, aquele texto contaminado, vocês vibraram isso. De alguma forma, a dúvida, o questionamento, a falta de fé total no que você já ouviu, lhe levou a procurar algo mais, e isto é o suficiente para que lhe devolva mais dúvidas.


Então não culpem a rede. A rede é o que vocês fazem dela. Se ela se desvirtuou, se ela se contaminou, se ela se tornou podre, vocês alimentaram ela. Quem colocou as coisas podres lá? Foram vocês. Aí muitos vão responder: “Não, não fui eu”. Realmente não foi você, mas alguém colocou e alguém viu e gostou e espalhou e falou para o outro; e aquilo se disseminou. Então quando eu falo vocês, porque a carapuça lhe incomodou? São vocês sim que a contaminaram, e tudo é feito para que as coisas se contaminem cada vez mais; mas tudo pela primeira decisão de cada um de vocês.


Quando vocês espalham uma notícia inverídica, sem nem ao menos tentar saber se aquilo é verdade ou não, quem foi que espalhou? “Ah, mas não fui eu que comecei. Eu recebi”. E por que você espalhou? Você também é culpado, de espalhar o medo e algo mentiroso para os outros irmãos. Então parem de ficar culpando a rede sobre tudo de ruim que acontece com vocês. Vocês recebem de volta aquilo que reverberam; aquilo que vocês emanam. Ela só devolve tudo aquilo que você pensou, tudo aquilo que você emanou, nada mais.