Sananda - As Ações no Nosso 2o Encontro

Atualizado: há 2 dias

Queridos filhos e filhas do planeta Terra! SOU SANANDA!


Mais uma vez, sou muito grato à Deus Pai/Mãe por estar aqui me comunicando com vocês. Hoje vou falar de um assunto bem mais tranquilo que o último. Vocês foram orientados a estudar as minhas Cartas dentro de grupos por cidades, e assim tem acontecido. Vocês se reúnem, vocês comentam, estudam, no amplo sentido da palavra. Todos? Não, nem todos. Muitos adentraram aos grupos pelo encontro do ano passado, apenas pelo movimento, pelo interesse de estar naquele momento participando de algo; não efetivamente para se manter nos grupos.


Qual o objetivo das minhas Cartas? Trazer a verdade; a verdade que foi manipulada foi ocultada durante muito tempo, por aqueles que se dizem serem representantes de Deus Pai/Mãe. Então minhas Cartas trazem apenas a verdade, nada além da verdade. Aqueles que leem as minhas Cartas sentem a mudança em suas mentes, em suas vidas, porque a energia de cada palavra contida ali é tão poderosa, que naquele mesmo instante em que você está lendo as Cartas, uma limpeza se dogmas, de crenças mal interpretadas, seja por vocês, seja por quem as escreveu, isto tudo vai sendo eliminado.


Quanto mais estudo maior a limpeza, porque o contato com aquelas palavras, com a energia contida ali, é bastante para ir fazendo a transformação interna em cada um de vocês. Por isso neste ano, o encontro que acontecerá dia 27 de novembro, não tem nada a ver com os grupos das Cartas. Em que sentido? Em que não precisa estar nos grupos para participar. Participa quem quiser. Não haverá presentes, não haverá meditações. A única coisa que peço, é que vocês neste dia, se reúnam e façam algo pelo próximo, por Gaia ou pelos animais. Faça um trabalho voluntário, algo que dê prazer à vocês quando terminarem.


Então percebam que o encontro ficou muito mais tranquilo e mais simples, para que não aconteça o que aconteceu anteriormente, que foi um total desespero desnecessário, eu diria, para entrar nos grupos e depois? Vocês simplesmente darem as costas e não participarem de mais nada, deixarem apenas o nome. Então eu digo a vocês, hoje, aqui, que a cada dia que passa vocês estão mais próximos da Quinta Dimensão, e como tal vocês precisam assumir aquilo que decidem, ou não. É escolha de cada um.


Então estamos preparando um trabalho junto a cada um que faz parte dos grupos, para que possamos delinear a conduta destes mesmos grupos. Temos dito, não apenas eu, que não queremos novos grupos; não queremos novas pessoas entrando, de forma volumosa, porque as entradas estão acontecendo. E infelizmente os grupos estão sendo invadidos por pessoas que querem apenas causar impacto ou causar confusão; não estudar as Cartas.


Então vamos dizer que não darei tempo nem prazo, mas a partir de um determinado momento, cada grupo terá uma porta; que para passar por esta porta será preciso uma entrevista do que verdadeiramente você quer fazer ao ultrapassar esta porta. Apenas olhar, apenas absorver, participar, aprender ou apenas fazer número. Queremos saber qual a sua ideia em relação à estes grupos?


O caminho, meus irmãos, à frente ainda é longo, mesmo após o grande despertar da humanidade o caminho ainda será longo. Eu diria que o caminhar se tornará até mais difícil do que é hoje e muitas pessoas chegarão ávidas por conhecimento, ávidas por conhecer a verdade. Mas muitas também trarão no coração, a revolta, a dor, a decepção, e farão questão de entrar nestes grupos para tumultuar, não para agregar; mas para dissociar.


Então precisamos sim colocar uma porta, e só entra quem for convidado; só entra quem mostrar que efetivamente quer participar do que é feito depois que passa daquela porta. Já fizemos as Estações das Cartas de Cristo. Estamos numa segunda jornada, que é a do balão, e outras mais virão; e isto tudo sempre atrai muita gente. Gente de coração puro, e gente nem tanto. Nada do que fazemos é para ser encarado como brincadeira ou como apenas uma diversão social, onde muitos gostam de exibir a quantidade de grupos que fazem parte, por ser uma pessoa extremamente social. Mas que no fundo não agrega nada à sua própria caminhada.


Não queremos bonecos, nem queremos cadeiras vazias, mas que pertencem à alguém. Queremos cadeiras vazias, literalmente vazias, para quem queira, possa se sentar ali. Então eu faço aqui uma pergunta a cada um de vocês que está nos grupos? Qual a sua intenção? Você pelo menos ouve o que é dito, não se manifesta, mas acompanha o que é dito, ou simplesmente está lá para fazer número? Para mostrar a mim que você teve algum interesse? Aí eu lhe pergunto: Que interesse?


Mais uma vez devo lembrar a vocês que não julgamos, nem ficamos preocupados se vocês estão ou não estão fazendo aquilo que passamos. Como eu já disse é a escolha de cada um. Então você não precisa fazer parte só para me agradar, porque você não estará fazendo nada; nem me agradando nem fazendo nada por você mesmo. Porque eu não me deixo levar por este tipo de ação. Eu não amo mais um irmão porque ele faz aquilo que eu peço; ou deixo de amar porque ele não faz. Isto não existe.