Maria - Não Justifiquem Seus Erros

Atualizado: 28 de mar.

Queridos filhos e filhas do planeta Terra! SOU MARIA!


É com muita gratidão que posso vir aqui hoje. E tenho percebido que a jornada tem sido bastante duvidosa para vocês. Então cabe a nós esclarecermos algumas coisas.


O que é um pensamento? Um pensamento é uma frase, uma ação não executada, em som e em ato. Mas ela existe para o universo. Então não acreditem que vocês podem pensar o que quiserem sem que haja consequências. O simples pensar é o bastante para uma emanação para o universo. Vocês apenas não traduziram em palavras, em som e em atos, mas vocês pensaram. E o pensamento vale como um ato ou como uma palavra.


Então não fiquem se justificando, não fiquem acreditando que... “Ah, eu apenas pensei, não falei, nem agi, então está tudo certo”. Não. Se você pensou, você falou, você agiu, só que de uma forma escondida. Então não se deixem enganar pelo ego. O ego todo tempo tenta mostrar a vocês que vocês estão sempre certos, que aquilo, aquele pequeno deslize, ninguém viu; então está tudo certo. Parem de acreditar nisso.


Tudo o que vocês fazem, tudo o que vocês dizem, tudo o que vocês pensam, é uma emanação, de formas diferentes, mas é; e é recebida pelo universo. Então parem de se enganar. Parem de achar que fazem as coisas às escondidas e nada haverá de retorno. Quem fala o que pensa apenas teve coragem de falar, de emitir o som. Aquele que age como pensa também teve coragem de agir como pensa, o que não quer dizer que esta coragem seja para ser aplaudida; apenas colocou em palavras e gestos o que pensou, não fez às escondidas.


Não se enganem meus filhos. Pensamento tem poder. Pensamento tem tanto poder quanto uma palavra, quanto um gesto, uma ação. Então não se enganem. Vocês procuram justificar os seus erros, e eu vos digo: Nenhum erro é justificável. Agora eu lhes respondo: O que é um erro. Erro é muito subjetivo, porque para uma pessoa, falar alto é falta de educação dentro do mundo de vocês; para outra pessoa é a forma que ela escuta a própria voz, porque ela é um pouco surda. Então quem está errado? Quem pode apontar o dedo e dizer que é um erro?


Então para nós, o que é errar? Errar é fazer tudo aquilo que seja contrário ao amor de Deus Pai/Mãe. Então percebam que é uma gama muito grande de atos, palavras, coisas; não dá para enumerar. Então aprendam: Tudo aquilo que foge ao que Deus Pai/Mãe emana que é o amor incondicional, é um erro. Então não tentem se justificar. Volto a repetir: Nenhum erro é justificável. Vocês cometem o que querem, porque o momento os levou a fazer, mas quem os obrigou? As suas próprias consciências, os seus egos, então não se justifiquem.


Vocês têm este péssimo hábito de tentar justificar o injustificável. Tudo aquilo que vocês fazem contrário ao que Deus Pai/Mãe emana, não tem justificativa. Vocês fizeram porque quiseram, ninguém os obrigou, ninguém os mandou fazer. Então não se justifiquem. Fica feio vocês insistirem numa justificativa que não há. A cada erro cometido aceitem o erro, e procurem aprender com ele e não repeti-lo mais. Esta é a sabedoria. Enquanto vocês continuarem justificando os seus erros, vocês continuarão errando, por que? Porque vocês não admitiram que erraram. Jogam a culpa no outro, jogam a culpa no que foi dito, culpam alguém, jamais vocês.


Então vocês continuarão repetindo o mesmo erro, porque na mente de vocês, vocês não erraram, foram induzidos ao erro. Quem os induziu, quem os fez errar, alguém lhe obrigou, alguém o forçou? Ou você no seu entendimento, na sua forma de pensar, entendeu daquela forma. E aí eu lhe digo que entendeu daquela forma para se justificar, para encaixar com o seu erro e poder dizer: “Não, eu não errei. Foi dito daquela forma. Eu fui induzido ao erro”. Então você está justificando o erro dizendo que outro o induziu.


É meus irmãos. A briga com o ego ainda está acirrada. Então eu lhes peço mais uma vez: Olhem para dentro. Errar e admitir o erro, é um grande passo para a evolução de vocês, porque quando vocês erram, compreendem o erro, e fazem todo o possível para não cometê-lo de novo, vocês dão um salto para a frente. Agora a cada tentativa de justificativa do seu erro, vocês pulamj para trás.


Então tenham cuidado meus filhos. Ninguém está marcando, ninguém está apontando o dedo para você porque você errou. E eu lhes digo que vocês ainda irão errar muito, até que aprendam a viver o amor incondicional. Apenas estamos tentando lhes mostrar que a cada erro vocês precisam ter a consciência de que erraram; e somente assim vocês vão caminhando para a frente. Não se sintam menores nem inferiores. Todos erram. Uns mais uns menos. Aquele que hoje, se não errasse não estaria mais na Terceira Dimensão, estaria vivendo o amor incondicional pleno e já teria evoluído.


Então quem está ainda na Terceira Dimensão continua errando; o que difere são os tipos de erros e às vezes que são cometidos. Então aprendam: Nenhum erro é justificável. Não usem o outro para justificar seus erros. Isto é muito feio e muito sério. É a forma mais danosa que o ego usa para tentar se safar do erro que você cometeu; acusando o outro. Isto é feio e traz consequências ruins também, porque além de você não admitir que errou, ainda acusa o outro como o responsável pelo seu erro. Que feio!


Então pen