Arcano Miguel - As Religiões Africanas (Cont. I)

Queridos! EU SOU O ARCANJO MIGUEL!

Muito bem; vamos continuar o nosso assunto sobre as religiões africanas, de origem africana. Entendo que muitos estão pensativos; estão tentando digerir tudo o que eu disse ontem. Só digo uma coisa para vocês meus irmãos, e que eu entendo que é isto que tem que ficar na mente de vocês: os Orixás existem; são seres de extrema energia; e estão neste planeta auxiliando na caminhada de cada um de vocês. Então isto é o que vocês têm que absorver. Não era aquele encarnado naquele ser humano, que iria fazer algo por você. São esses, esses que estão lá no Alto, atendendo àa cada um de vocês. Então não fiquem remoendo revolta, raiva, decepção, porque esses sentimentos não vão levar vocês a nada. A verdade é uma só, os Orixás existem e estão prontos para ajudar qualquer um de vocês; que conheçam, que confiem, que seguem a religião africana; qualquer uma delas ou não. Não importa. Não importa. Da mesma forma que eu estou disponível para todos, independentes de serem da religião católica ou não.

Então hoje, eu vou continuar um pouco mais a história. Como eu disse para vocês ontem, a mesma religião foi tendo desdobramentos. É como eu lhes digo meus irmãos, muito vem da mente de seres humanos. Digamos que nem todos, concordavam com tudo que aprendiam ali; nem todos concordavam com todos os rituais. Não, eu não estou falando aqui em matança de animais, isso fica de lado. Isto é um caminho, que quem quiser seguir, fique à vontade.

Quem quiser continuar acreditando, que matar animais é bom e traz uma energia positiva em qualquer sentido, continue seu caminho; nada tenho a dizer. Não estou preocupado com isso, mesmo que você não siga o caminho do mal, mas se você concorda com este tipo de sacrifício, peço à você apenas que pense um pouco. Cada animal faz parte de nosso Deus Pai/Mãe; e jamais ele seria favorável a matança de um, principalmente nessas condições. Rituais de sangue não são para seres de luz, tenham a certeza disso.

Continuando. Então muitos seguiam esta religião que originou-se no Candomblé. Meus irmãos eu estou falando aqui, tudo muito superficialmente. Eu já disse para vocês, que eu não sigo as coisas certinha como vocês conhecem. Eu faço uma macro-história e para mim, isso é que é o importante; é a forma de passar a mensagem. Eu não vou ficar aqui, desfiando todos os desdobramentos das religiões africanas, porque se vocês forem para a África, muitas outras vocês vão conhecer. Então não é este o meu objetivo. O objetivo é mostrar a evolução e como tudo se encaminhou. Muito bem. Então muitos que seguiam, aquela primeira forma da religião, que foi apresentada, começaram a questionar algumas coisas. Os próprios rituais. Enfim, questionaram muita coisa e muitos desdobramentos foram acontecendo.

Então existem alguns desdobramentos, que foram para continuar com a matança de animais. Outros não, outros eram uma mistura. Muitos aqui já frequentaram casas espíritas, que a princípio eram da luz e faziam matança. E aí cabe aqui também colocar, que aqueles que são os centrais nessas casas espíritas, os chamados Babalorixás, que supostamente servem aquele Orixá, é uma alma como qualquer uma alma de vocês. Apenas digamos que exatamente por seguir aquela religião, se tornava um adepto dos costumes e dos rituais, e recebia toda sorte de orientação. Muito bem.

Então hoje eu vou falar um pouco sobre a incorporação. Isso já foi bastante falado aqui, mas cabe aqui comentar novamente. Àqueles seres humanos que já estavam envolvidos com aquela religião, com aquelas religiões, não importa, foi ensinado que deveria deixar sempre aquelas almas incorporarem no corpo mediúnico daquele local; para quê elas pudessem passar alguma informação ou aprender algo. Como eu disse ontem, muitas entidades ou almas de luz, se apresentaram nessas casas. Como eu dei o exemplo de ontem, do Pai Joaquim. E aí vamos falar de Caboclos, que seriam os seres que habitavam na mata. Seriam almas de índios, almas de pessoas que conduziam animais, alguns outros seres da mata, não importa. Eram almas de luz.

Então quando aquele médium se preparava ou vinha com uma missão... Interessante falar sobre isso. Aquele médium vinha com uma missão e muitas vezes não tinha escolha, ele tinha que seguir aquela religião. Ou simplesmente a sua vida virava de cabeça para baixo. Era como se fosse uma imposição. E na verdade era, não havia escolha. Era uma missão: dito, prestar a caridade. Então muitos, nem sabiam que tinham esse dom da incorporação. Mas as coisas aconteciam de maneira, que elas fossem obrigadas à ir para esses terreiros ou casas espíritas.

Muitos iam por vontade própria, por ter afinidade com aqueles locais. E aí eu pergunto: alguns se deixavam incorporar, outros não. Os chefes dos terreiros poderiam fazer tudo o que quisessem, mas aquela criatura nunca incorporava ninguém, por quê? Então eu explico para vocês por quê. Porque não era da missão daquela alma, aquela missão. Aquela alma era uma alma evoluída e que tinha consciência, de que aquilo não era bom para ela. Então ela nunca permitia a incorporação, ou pelo menos dificultava a incorporação. Aí, muitos já estão aqui tomando como regra: “Ah, então se eu incorporava, eu sou uma alma de Terceira!”

Eu falei que isso era uma regra? Posso dizer sim, que as almas que são evoluídas, não incorporam. Nunca se deixaram incorporar. Muitos pensativos. “Poxa, eu achava que eu era uma alma evoluída, mas eu incorporava”. O que eu acabei de dizer? Existem alguns casos, em que as almas evoluídas podem realmente incorporar, quando isto se faz extremamente necessário naquela caminhada. Lembrem-se, existe uma coisa chamada livre-arbítrio. Então vou refazer o que eu disse. A alma evoluída tem conhecimento de que não é bom incorporar, que não trará nenhum benefício àquela roupagem humana a incorporação.

Então ela faz de tudo para que isto não aconteça. Só que vocês têm o livre arbítrio. E mesmo aquela voizinha lá dentro dizendo que não é para fazer, vocês fazem. Então é desta forma que vocês têm que entender. Muito bem. Então voltando... A missão era prestar a caridade sempre; era esse o objetivo, prestar a caridade. Era permitir que aquelas almas de luz viessem, conversassem com as pessoas, limpassem energeticamente qualquer problema que elas tivessem, as orientasse a respeito de trabalhos feitos contra elas e etc.

Então era uma missão da alma, daquela alma de luz. E para aquele ser humano, era uma missão de vida. Em que para ele não tinha escolha, ou ele entrava ou a sua vida virada de cabeça para baixo. Até onde isso é verdadeiro? Até onde realmente houve uma imposição e quem impôs? O objetivo maior era expandir essas religiões, porque isto era muito bom para o controle. Então esta suposta obrigação, não era da luz. Jamais Deus Pai/Mãe criaria algo em que o ser humano seria obrigado a fazer. Então essa imposição nunca foi da luz. Não era a alma de luz que forçava o ser humano, a trabalhar para ela.

Quem entendeu o que eu disse ontem, vai entender o que eu vou dizer agora: cada vez mais eles forçavam as pessoas, a se envolverem nessa religião. Para que o controle fosse maior, cada vez mais. Então qual era o nosso papel? Trazer para estas pessoas que escolhiam isso, ou vamos dizer que eram forçadas a escolher isso, pelo menos terem almas de luz trabalhando com elas. Então era uma forma de nós quebrarmos, aquela malignidade envolvida naquele processo.

Aí muitos podem perguntar: “Mas peraí, vocês não podiam impedir que a pessoa fosse envolvida?”. Meus irmãos, aí nós vamos voltar a falar sobre a descida para a Terceira Dimensão, porque nós permitimos, porque tanto tempo... Não é mais o assunto. Vocês já estavam vivendo o processo da expiação, e estavam sendo controlados exatamente para viverem nele. Só que sempre estivemos ao lado de vocês. Então esta foi a nossa forma de trazer o equilíbrio a aquele processo. E muita caridade foi feita. Muita coisa boa foi feita, muitos receberam ajuda e recebem até hoje. Muito bem.

Como eu disse, muitas casas mantiveram as oferendas com matança de animais. Porque para aquele chefe do terreiro, aquilo era o certo; ele foi ensinado daquela forma. Então eu não posso aqui agora, julgar que todos eram do mal, que todos seguiam a não luz. Não eu não posso fazer isso e não farei. Eles apenas seguiam os rituais que haviam sido ensinados para eles. “Olha se você for um chefe de terreiro, você tem que agir assim, assim, assim e assim”. Muito bem. E ele agia. Não havia ainda a compreensão do que estava errado ali. E ele fazia aquele ritual de matança, numa esperança de acalmar as energias negativas, para que elas parassem de atuar no mundo. Só que ele não sabia, que aquilo era exatamente para o contrário. Porque o sangue daquele animal, potencializa todo o mal em uma alma da não luz. Muito bem.

E também nessas casas espíritas, existia a incorporação daquelas almas que estavam fora do caminho. Uma pessoa chegava cheia de problemas e o diagnóstico era: “Você está possuída por um espírito!”. E aí aqueles médiuns, trocavam aquele espírito de lugar. Tiravam ele da pessoa e puxavam para si; para que aquele espírito pudesse largar aquela pessoa e dizer o que ele queria. E ali ele pedia oferendas, pedia um monte de coisas, para que deixasse aquela pessoa em paz. E aquela pessoa comprava aquilo tudo, fazia aquilo tudo, na esperança que ficasse em paz. E como esses espíritos da não luz, sempre foram extremamente... como vou dizer... eles gostavam de ganhar presentes. Então se você desce muito presente para eles, eles deixavam a pessoa em paz.

E aí as pessoas se submetiam a toda sorte de oferendas, para deixar que aquele espírito, ficasse feliz e deixasse elas em paz. É claro que aquele espírito, não ganhou nem um pouco de luz, com cada vela que foi acesa, pelo contrário, ele conseguiu tudo que ele queria; ele viveu aquilo ali... Porque os espíritos da não luz, quando vocês fazem oferenda, eles sublimam tudo que está ali e consomem. Então para ele foi ótimo e ele agora vai passar a obsediar outra pessoa. Ele está sempre pronto para obsediar alguém, para ganhar presentes; em troca de presentes.

Em muitos casos, algumas casas espíritas tinham a preocupação de doutrinar aquele espírito; mostrar à ele, que aquele não era o caminho, que ele tinha que seguir o caminho da luz. Que ali haviam muitos seres de luz e muitas almas de luz para ajudá-lo a encontrar o caminho. E muitos aceitavam; e iam se desprendendo da Quarta Dimensão. Muito bem. Então é essa história sobre as incorporações. E aí vocês vão falar de muitos outros seres que ali encarnavam: crianças... O que eram aquelas crianças? Não almas crianças, porque a alma criança não tem quase consciência de nada. A alma já nasce grande.

Então ali não eram almas crianças, eram almas de luz que vinham como crianças. Digamos que elas assumiam a última encarnação. Aquilo estava muito vivo na mente delas e elas haviam feito a passagem enquanto crianças. Então elas voltavam exatamente com a idade que tinham; é como se elas regredissem no tempo. Aí eu pergunto para vocês: isto era bom para elas, ficarem presas à uma encarnação? Ao que foi o corpo delas na última encarnação? Mas isso é o que era, mas eram almas de luz; nada aqui era da não luz. Claro que existia a incorporação de seres da não luz; e eles se faziam reconhecer muito facilmente, por todos aqueles que frequentavam ali. Irreverentes, desbocados, com propriedades da vida terrena; porque eles também estavam muito apegados ao que eles foram um dia: a última encarnação.

Então da mesma forma que eu expliquei ontem, sobre Pai Joaquim, sobre a falange de Pai Joaquim; eu vou aqui falar da falange de algumas almas de luz também. Como determinados caboclos, determinados seres que se apresentavam como seres da não luz; mas que muito pelo contrário,eram almas extremamente iluminadas. É meus irmãos, nem tudo é o que parece. Então essas almas também tinham suas falanges. E eles vinham prestar a caridade, mesmo tendo todos aqueles trejeitos dos seres da não luz. Isso era interessante. Manter tudo desse jeito era muito interessante.

Então desse jeito, as religiões, com base nas religiões africanas, foram se disseminando. Muitas festas, muito culto aos Orixás. Muito bem. Muita caridade; e vale lembrar que o preconceito sempre existiu. Sempre as pessoas que seguiam essas religiões, eram apontados como do mal. Não era muito bem aceitos até bem muito pouco tempo atrás. Porque tudo ali, parecia muito esquisito para as demais religiões. E temos que pensar também que a essa altura todas as outras religiões já haviam sido criadas. E nelas se pregava o separatismo: “A minha é melhor que a sua! Então eu não gosto de você, você não segue o que eu acredito. Então eu não gosto de você, você não serve para ser meu amigo!”.

E assim, ao longo de muito tempo, muitas eras, todos brigavam entre si. Cristãos não respeitam evangélicos. Evangélicos não respeitam espíritas. Espíritas condenam as outras religiões, e por aí vai. Muçulmanos atacam qualquer um, que não seja representante da ideia deles do que é Alá. Então estão aí as religiões; para separar, para trazer a discórdia, para trazer a raiva o ódio. Porque foi isso que as religiões sempre pregaram, não o amor. Se as religiões tivessem pregado o amor, não haveria as guerras santas; não haveria o preconceito; não haveria a discriminação, não haveria o julgamento.

Então sempre o que foi pregado, foi a separação, não a união. Porque uma coisa eu posso dizer, Deus Pai/Mãe é um só. Deus Pai/Mãe para os Cristãos, é o mesmo Deus Pai/Mãe para os Budistas; é o mesmo Deus Pai/Mãe para os Muçulmanos; é o mesmo Deus Pai/Mãe para todas as outras religiões! Não existe um para cada religião. Posso dizer que vários avatares, chegaram no planeta para tentar mostrar isso. Aí vamos falar de Jesus, o Cristo, vamos falar de Buda, vamos falar de Maomé, que tentaram trazer para este planeta a ideia do Amor Incondicional e foram totalmente deturpados nas suas palavras.

Então essas religiões africanas, sempre foram muito combatidas, exatamente pelo preconceito. Primeiro pelo tom da pele daqueles que a frequentavam, aquilo era coisa de escravo. Porque os escravos seguiam essa religião integralmente, porque foi isso que foi lhes ensinado. E aí vocês acharam por bem, porque aquele povo tinha pele escura, era diferente do resto do mundo, escravizá-los. Aí vamos colocar aqui um ponto interessante. Muitos já devem estar se perguntando, como que vocês permitiram isso? Aqueles povos se escravizarem?

Volta a dizer para vocês, que o planeta estava dentro da fase planejada e que cada um colhe aquilo que planta. Aquela religião que tinha que veio dos Orixás, do Alto, era uma religião muito bonita; em que se trabalhava os elementos. Só que isso foi totalmente deturpado. Os homens pelo poder, se deixaram deturpar e concordaram com a enganação; concordaram com a falsidade, concordaram com falsas crenças, com falsas verdades. Então eu posso afirmar, que aquele povo infelizmente colheu o que seus ancestrais plantaram. Nada acontece por acaso. Vocês se lembram quando eu disse aqui que todos eram obrigados a seguir a religião? Que todos eram intimados a seguir a religião? E isso é o quê? Isso é escravizar!

Então simplesmente eles colheram o que eles plantaram. Sofrimento? Sim, muito sofrimento. Mas foi exatamente o que os ancestrais plantaram e fizeram ao longo de muito tempo, de milênios posso dizer. Então eles colheram isso. Dizer para vocês que a escravidão é abençoada pela luz; eu jamais vou dizer isso! É o que eu sempre digo aqui, alguém aplica a lição e alguém recebe. Alguém é o professor, alguém é o aluno. Quem tinha que aplicar a lição da escravidão? Os brancos. Quem tinha que sofrer? Os negros. Mas está certo escravizar o outro? Não, não está, mas foi exatamente isso que eles colheram. E alguns brancos fizeram parte da lição. “Mas esses brancos que aplicaram a lição, não terão também uma colheita depois?”. Com toda certeza, com toda certeza.

Digamos que se nenhum branco tivesse preconceito, se sentisse superior; e se nenhum tivesse a ideia da escravidão, aquelas almas colheriam de uma outra forma; elas colheriam, mais de uma outra forma. Só que aconteceu de um branco criar a escravidão. Então elas passaram a viver aquela situação. Para pagar por tudo aquilo. Não pagar no sentido do castigo, mas como uma colheita pelo que as próprias religiões plantaram.

E o assunto ainda nao terminei, mas eu quero comentar a respeito. Isso existe até hoje. Apesar do mundo hoje... Eu posso afirmar aqui, que uma muito pequena minoria ainda é essencialmente branca; o seu mundo hoje está totalmente misturado. Vocês tiveram tanto preconceito, tanta discriminação, tanta superioridade; vocês brancos sobre os negros; e no entanto hoje, vocês se casam, vocês têm filhos, vocês são mulatos, vocês são café com leite, vocês são tantas cores, que vocês se dão, que não dá nem para dizer aqui. Todos vocês têm um pouquinho da pele negra, tem um pouquinho daquela genética.

A genética se espalhou no planeta. Como são os cabelos de quem é essencialmente branco? Como são os cabelos de quem tem a pele negra? E quantos brancos têm cabelos de pele negra? Foi o quê, um erro? Foi um erro na hora de montar o bebê? Não, ali veio uma genética dos antepassados. Então meus irmãos, por que o preconceito? Que diferença faz se você é branco, ou negro, ou mulato, ou amarelo, ou rosa, ou azul? Que importância tem? Ah, entendi, a importância é o diferente. Não pode ser diferente, tem que ser igual. Pode ser aquele protótipo do homem lindo que vocês montam, e ser uma alma da não luz. Pode ser aquela mulher extremamente bela, e ser uma alma da não luz. Mas isso para vocês não tem problema, o importante é que eles são lindos. E vocês ficam venerando aquela beleza. Tentam copiar aquela beleza. E é claro que isso foi muito bem aceito, por aqueles que querem ganhar muito dinheiro com essa fixação de vocês em serem belos.

E aí alguém fala assim: “Olha se você ficar com a cabeça dentro de um monte de estrume de porco, vários dias, você vai sair de lá com o cabelo belíssimo”. É bem capaz de você fazer! Porque não importa o que você precisa fazer para ser belo. Aí eu pergunto à vocês: O que vocês farão com essa beleza, quando esta roupa aí for embora? Vocês vão levar essa beleza na alma? Vão levar essa beleza para a outra dimensão? Então o que é ser belo? É ser aquele que se sobressai perante os outros? Olha o ego, ego ao limite!

Então a discriminação contra os negros, vem do diferente, o que vocês chamam de racismo. E alguns povos incentivam isso. Hoje a maioria que vive hoje e que nasceu há pouco tempo, tem uma mentalidade muito mais aberta em relação a isso. Mas os seus... vou chegar a dizer avós, muitos pais, ainda possuem um racismo velado. “Não, não, não, eu não sou racista!”. Mas quando aparece várias pessoas em alguma cena: “E olha o que aquele preto tá fazendo ali no meio?”. Mas não é racista, imagina!. Mas aquele preto chamou atenção e vai comentar exatamente do preto. Não é racista?

Mas também não podemos julgá-los, porque eles foram criados assim. Os seus antepassados criaram que negro era escravo. Escravo é para ser dominado, discriminado e deixado num canto encostado como uma vassoura; ele não tinha vida, era algo, não um ser humano. Então muitos antepassados, passaram isso para os seus filhos. Que vêm a ser os seus avós, pais, mães. Então o racismo continua. A discriminação continua. E isto começou quando? Quando as religiões foram criadas, porque elas incentivaram isso. Elas incentivaram o diferente; elas mostraram que era diferente.

Aí muitos se perguntam: Por que Jesus não veio negro? Onde Jesus nasceu? Na Palestina. E na Palestina não haviam negros, não naquele tempo. Os negros que haviam eram escravos. Sim, Jesus poderia ter escolhido vir negro. Mas se ele como branco que era maioria daquele povo, já não conseguiu ser ouvido, imagine se ele tivesse vindo negro? A voz dele teria sido calada, muito antes dele começar a falar. Primeiro que ele não teria voz.

Então meus irmãos, quando disse que vou começar a falar das religiões, quem não se sentir bem com o que eu estou falando, só tenho a dizer que, prepare-se. Porque muita coisa vocês vão ficar sabendo. Eu vou começar a revelar algumas coisas, mas não tudo. Muita coisa vocês terão que saber por vocês mesmos. O quanto vocês foram enganados e manipulados; com um único objetivo: a separação. Quanto mais separados os povos, menos forças eles têm.

Então voltando ao nosso assunto. Grande parte dessas almas escravas, foram iluminadas; e atuavam como almas de luz no próprio planeta, incorporando aqueles médiuns que estavam ali por obrigação. E aí cabe fazer um comentário aqui: muitos de vocês ainda acreditam nisso, que: “Alguém fez macumba pra mim. Minha vida está toda errada, porque alguém fez macumba para mim!”. E eu vou repetir o que eu repito aqui sempre: se você é uma pessoa que vibra alto, que ama o próximo, pratica o amor incondicional, não julga, não critica, sempre fala coisas boas, pensa coisas boas.; aquela macumba vai pegar? Claro que não. Agora se você é uma pessoa que tem medo, inclusive vive dizendo que tudo que está acontecendo à você, é por causa daquela macumba. Muito bem. Você com certeza vai ter vários amiguinhos à sua volta, rindo do que você está falando, e eles dizendo: “Realmente, estamos aqui, apavorando a sua vida”. E cada vez mais você vai acreditar nisso, e a sua vida cada vez mais vai ficar pior.

Então eu diria que da mesma forma que vocês recebem o que vocês emanam, eu vou afirmar que vocês atraem o que vocês emanam. Porque se alguém perdeu tempo em ir a um lugar e pedir alguém, para fazer algo contra o outro, aquilo é revertido no quê? Num espírito de não luz, que vai obsediar aquela pessoa, vai tentar obsediar aquela pessoa e fazer valer o que aquela outra quer. “Ah, eu quero matar fulano. Eu quero que ele sofra um acidente. Eu quero que ele fique doente. Eu quero que a vida dele vai para trás!”. E aquele espírito vai fazer exatamente o que foi pedido, para ele poder ganhar aquele presente. E quem pediu aquilo, acontece o quê? O quê que ele emanou? Eu diria para vocês que o Universo vai devolver, com muito mais cotas; porque ele deliberadamente de coração, fez mal à um irmão. Então aquele mal voltará para ele, de formas que ele nem imagina, para que ele aprenda a lição.

É meus irmãos, tudo tem consequência. Tudo. E uma coisa que fique muito bem clara aqui, para encerrar o vídeo de hoje. Esses médiuns que incorporavam ou que ainda incorporam;, isto não acabou; não encarem isso como uma afirmação, de que vocês não têm condições de evoluir para Quinta Dimensão. Apenas eu gostaria que vocês pensassem a respeito, porque tudo é energia, tudo é frequência. Para ir paraa Quinta Dimensão, vocês têm que estar numa determinada frequência; e esse entra e sai de espíritos em seus corpos, com certeza, abaixa a frequência de vocês. “Ah, mas eu estou prestando a caridade!”. Concordo, só que estamos numa nova época. Estamos em um novo momento. Tudo está diferente. Se você acha que deve continuar esse caminho, continue esse caminho. A escolha é sua.

Agora se você tem na sua mente querência por ascender, então eu lhe digo que você precisa tomar uma decisão; ou uma coisa ou outra. Ouça o seu coração. Ouça profundamente o seu coração. Até onde você ainda está aprisionada na situação? Até onde existe o medo de você largar tudo e ser castigada? Porque isso foi colocado na mente de vocês: “Se vocês saírem, a vida de vocês vira de cabeça para baixo”. E muitos acreditando nisso, a vida realmente virava. Porque eles acreditavam nisso. Então busque; busque dentro do seu coração, o que realmente você está sentindo. É medo de abandonar tudo e seguir uma nova caminhada, para a sua evolução de alma; ou se você está tranquila realmente nessa..., tranquila ou tranquilo nessa situação, e prefere continuar aonde está. Muito bem. É uma escolha sua. Vou deixar vocês pensando a respeito de tudo que eu falei. E amanhã encerramos esse assunto.

EU SOU O ARCANJO MIGUEL! Estou aqui a cada dia, tentando lhes mostrar a verdade. A mais pura verdade.



301 visualizações

CNPJ - 29.898.085/0001-59 - Anjos e Luz Terapias - RJ

Copyright 2020 - Anjos e Luz Terapias - Todos os Direitos Reservados à www.anjoseluz.com