Arcanjo Miguel - Sobre os Filhos

Atualizado: Jan 7

Queridos! EU SOU O ARCANJO MIGUEL!


Muitos gostaram do que ouviram ontem; alguns nem tanto, mas não importa meus irmãos. Pouco a pouco, vocês vão aprendendo como assimilar as informações que tenho passado aqui. Vocês aprenderam, ao longo do tempo, muitas coisas de forma errada. Mas eu não posso afirmar que esta forma errada, foi feita totalmente no sentido de obscurecer o conhecimento de vocês. Posso dizer que muitas vezes foi a forma que podia ser passada naquela época, naquele momento; e tem muitas coisas que tenho dito já foram ditas por outros seres de luz de uma forma diferente; o que faz muitos de vocês duvidarem de que sou eu realmente que estou falando.


O que eu tenho a dizer a respeito é o seguinte: eu já estou aqui transmitindo essas mensagens, já há muito tempo; já é quase um pouco mais de um ano em que venho aqui transmitir as minhas mensagens através deste canal. Então, tenho certeza, de que se o canal está crescendo, se todos compartilham da minha energia, quem ainda não confia que seja eu que esteja falando, realmente você está um pouco atrasado no caminho da evolução. Porque você não conseguiu entender que durante todo esse tempo existiu uma farsa? Existiu um engano? Ninguém consegue enganar por tanto tempo.


Então aqueles que acham que o que estou dizendo aqui é errado, ou que não sou eu que estou falando, eu respeito e nada posso fazer. A decisão é de cada um de vocês. Se vocês não ressoam com o que é dito aqui, realmente não tem nada a fazer aqui; procure outros canais que façam com que as informações ressoem em suas mentes. Agora arbitrar simplesmente, que não sou eu que estou falando, que as coisas que são ditas aqui não podem ser ditas por mim, realmente você está com problema; porque as suas crenças limitantes estão lhe bloqueando de tal forma que você não consegue ver a verdade. Mas volto a repetir, eu respeito a sua opinião. Só não tente ficar fomentando a discórdia entre aqueles que acreditam em mim.


Se você não acredita, todos nós que estamos aqui (porque somos um grupo), lhe respeitamos; mas nos respeite também. Tenha respeito por aqueles que já estão aqui há muito tempo. Então não fique tentando fomentar a discórdia, colocando palavrinhas de dúvida. Se você está tentando pegar aqueles que estão em cima do muro, o problema não é meu; o problema é deles; mas eles continuam aqui, independente de estarem em cima do muro.


Então use seu tempo de uma forma mais inteligente. Se você não gosta, se você não acredita, se você não ressoa, respeito; mas saia de cena, porque você está perdendo o seu tempo, fomentando algo que não irá acontecer. Porque eu conheço o grupo que tenho aqui, e sei o que eu sou. Use seu tempo de uma forma melhor. Estude, aprenda a ouvir a verdade. É só isso que tenho que dizer.


Bom, meus irmãos. Vamos voltar ao nosso assunto. Isto foi um pequeno recado, porque muitas pessoas pensam que eu não vejo o que acontece; que tudo eu deixo passar. Eu vejo tudo o que acontece. Eu vejo cada palavra que vocês colocam, em todos os pontos referentes à este canal. Eu tenho cada um de vocês conectado a mim. Então eu sei exatamente o que se passa no coração de cada um. Então muitos pensam que podem ficar brincando e ficar jogando pedras, nos que estão brincando normalmente. Todos vocês estão no pátio brincando, se solidarizando, se amando, aumentando cada vez mais esse grupo. Então deixar entrar alguém que só quer jogar pedras, isto eu não vou permitir. Eu sei exatamente para quem foi esta mensagem; e para aqueles que estão pensando em fazer isso. Porque tem muita gente que não concorda com que é dito aqui, e acha que isso tudo é mentira. Respeitamos a opinião, mas não venha aqui querer jogar pedra nos demais amiguinhos, que estão brincando felizes e amáveis dentro do pátio. Vá jogar pedras em outro lugar. Esse foi um pequeno aviso. Não nada farei. Eu não ameaço. Apenas quem planta, colhe. É só isso que eu tenho a dizer.


Então continuando nosso assunto sobre um outro aspecto da alma. Nós falamos na semana passada, de encarnação, reencarnação, como acontecem as decisões. Ontem falamos sobre os filhos de sangue. Hoje nós vamos falar sobre os filhos adotados. Este é um assunto que muitos vão gostar de ouvir. Então vamos lá!


Como eu disse ontem, quando uma mãe e um pai se unem, não importa por qual motivo, se uniram e geraram, deram origem à um novo ser. Naquele momento o Universo se organiza para trazer a Alma correspondente para aquela roupagem que está sendo gerada; e naquele exato momento, da concepção, uma Alma já é acoplada ali. Não, não entendam, quando eu falo que a alma é acoplada é a alma entrar numa única célula. Não, o menor receptáculo que a Alma entra, é no bebê. O bebê já neste mundo; não dentro da barriga da mãe.


Ali a alma tem toda a conexão com o bebê mas não está incorporada nele; não está totalmente inserida nele. Mas como eu disse ontem, tudo que acontece naquele ambiente onde aquele bebê está sendo gerado, a Alma sente, porque já existe uma conexão desta Alma com o pai e com a mãe; com aquela gestação; com aquele momento. Muito bem.


Então hoje nós vamos falar sobre os adotados. Porque muitas pessoas têm esse sentimento, este Amor Incondicional de pegar um ser que não nasceu de si e tomar para si a responsabilidade de criá-lo, de cuidar dele. Então antes de começar a falar sobre isto, eu vou fazer um à parte sobre cuidar. O que é ser pai? O que é ser mãe?


Como eu já disse, uma Alma não é um produto da alma do pai e da Alma da mãe. É uma alma adulta, pronta, que já tem todo uma caminhada de vida que é acoplada àquele ser que está sendo gerado; ou é uma alma que chegará na vida dos dois, ou de um, não importa; mesmo sem ter sido gerada por eles. Mas estamos falando de filhos em forma geral. O que é ser pai? O que é ser mãe?


Vamos pensar o seguinte: vou falar de ser humano, porque estou falando para vocês. Então o bebê nasce, ele não se cria sozinho. Ele precisa ser alimentado, precisa ser cuidado, precisa ser amado. Então, é necessário que haja uma estrutura para doar este amor e este cuidado. Deste que vocês criaram a estrutura de sociedade, estabeleceu-se o termo família, que é onde tem um pai e uma mãe, e os filhos, e muitas vezes alguns agregados.


Então nas condições normais, que sua sociedade impôs durante muito tempo, os pais: mãe e pai, teriam que cuidar desta criança; teriam que cuidar da educação; dar-lhe bons hábitos; ensinar-lhe boas maneiras; enfim, preparar aquele pequeno ser para ser um adulto do bem, para ser um adulto solidário, para ser um adulto grato. E por aí vai. Então este é o papel. Não apenas alimentar, porque isto é um é uma coisa, pode-se dizer, obrigatória, porque se vocês não alimentarem aquele ser pequeno, ele morre. Ele é totalmente dependente.


Então a primeira função, daqueles que vão cuidar daquele pequeno ser é alimentá-lo, dar-lhe carinho, dar-lhe conforto, não deixar que ele passe frio, não deixar que ele passe frio; não deixá-lo abandonado, e por aí vai. Dizer que existe uma cartilha, em que uma mãe e um pai tem que seguir, de como educar um filho, não, não existe uma regra; porque como eu disse ontem, esta Alma que está chegando é uma Alma que vai cobrar lições do pai e da mãe de forma geral; ou é uma Alma que irá aprender lições através destes que a estão criando. Então não pode haver uma regra. Cada caso é um caso.


Mas vamos dizer que existe um roteiro, em que os pais, aqueles que cuidam, têm que seguir. Em primeiro lugar, dar amor, para que aquele ser se desenvolva equilibrado emocionalmente; alimentá-lo saudavelmente, para que aquele ser cresça saudável, sem nenhum tipo de distúrbio causado por uma má alimentação ou por uma alimentação excessiva; impor limites, para que aquele ser saiba que o mundo não é como ele quer, que a sua vontade termina onde começa a do outro; que ele tem sempre que respeitar o limite do outro; aprender a viver os sentimentos do meio, como frustração, raiva, dor, desilusão.


Deixar que este pequeno ser, vá aprendendo cada um desses sentimentos ainda enquanto criança, pois é somente desta forma que ele será um adulto completo. Não é simplesmente colocar a criança numa redoma de vidro; “Não, meu filho não vai sofrer. Meu filho vai ser 100% feliz”. Muito bem. Enquanto está debaixo dos seus cuidados, ele até poderá ser 100% feliz, mas já de pequeno, se tornando pequeno tirano, porque ele fará você fazer tudo por ele, o que ele quiser; e você fará para que ele seja 100% feliz. Enquanto criança: “Ah, é bonitinho. É, ele não pode ser contrariado”. Interessante. E aí ele se torna adulto; e é aquele adulto que não aceita o não; que não aceita as contrariedades da vida; que não aceita nada que fuja aos seus propósitos. Se torna um ser violento, porque como ele não consegue as coisas no grito, ele tenta conseguir na violência, na estupidez, na maldade. Não importando o que ele está causando no outro, porque ele nunca foi colocado à frente de limites.


Ele acha que pode fazer o que quer porque foi assim que ele foi criado. E aí muitos pais quando os filhos se tornam assim, se perguntam: “Onde foi que eu errei?”. Pois é. Você não deixou ele viver você colocou ele numa redoma em que ele não teve nenhum sentimento para aprender; ele fazia o que ele queria, e você sempre atendia o que ele queria, mesmo que não fosse muito correto. O que quero dizer com isso tudo? Não, eu não estou aqui questionando a forma de educar e de criar ninguém. Vocês são pais; vocês são responsáveis; então vocês sabem o que fazer sempre. Não é? Só que depois vocês reclamam. E depois, olha o que vocês passaram para esta Alma. Esta Alma aprendeu coisas de forma errada; então vocês foram responsáveis por desvirtuar está Alma, sim.


Muitas vezes os filhos quando se tornam adultos, lhes mostram todas, lhes mostram todas as falhas que vocês cometeram durante a criação deles. Então, muitas vezes vocês são culpados sim; não, eu não estou dizendo aqui que vocês fazem isso por maldade; isso é excesso de amor; e como eu já disse aqui e não canso de repetir, tudo tem que ser equilíbrio; nem menos, nem mais. Não adianta vocês ficarem andando na frente da criança não permitindo que ela nunca caia, porque um dia ela irá para escola e cairá; não terá você por perto para impedir que ela caia.


Então ela tem que aprender a dor do que é andar sem atenção; a dor do que é correr sem prestar atenção por onde está correndo. Só assim ela aprende; é sentindo; é vivendo; é chorando; é levando não; é desta forma que ela aprende. Limite é uma das coisas mais importantes que vocês têm que dar aos seus filhos. O não, é e sempre foi necessário em qualquer criação, para que a criança aprenda que nada é como ela quer; que o mundo lhe dirá muitos nãos. E isto é o que acontece com a maioria dos adultos que não sabem receber o não. Se tornam frustrados, se tornam deprimidos, e muitas vezes violentos, porque não sabe lidar com isso. É um sentimento que eles não conheciam, porque não foi deixado eles viver.


Então meus irmãos, educar não é receita de bolo; educar não é regra, mas existem sim pontos-chave na educação de cada ser que está em crescimento. Então, pensem a respeito. Amar, não é colocar dentro de uma redoma para que aquele ser não sofra. A Alma que está ali tem uma série de lições a aprender, e aí você coloca ela dentro de uma redoma; o que acontece com o roteiro daquela Alma que tinha um monte de lições a aprender? Foi totalmente desvirtuado; você criou um atalho; e aquela Alma vai seguir por caminhos que não estavam programados, porque quando vocês educam, dentro do equilíbrio, a Alma segue o roteiro, porque faz parte de viver aqueles sentimentos; está dentro do roteiro.


Então não amem as suas crianças em excesso; não as impeçam de viver; de serem crianças. Eu já disse aqui várias vezes, que vocês estão entupindo suas crianças com remédios, porque elas estão agitadas demais. Rapidamente a sua medicina já encontrou nome, sobrenome para o problema, e enfiam um monte de remédios nas crianças. Que como eu já expliquei aqui são Almas extremamente envolvidas que estão chegando, e que não conseguem ficar quietas dentro de um corpo tão pequeno.


É meus irmãos, ser pai, ser mãe ou ser quem quer que seja, que cuide de um pequeno, não é fácil; é uma tarefa difícil. Mas como eu disse, são lições que você mãe, terá que passar; são lições que você pai, terá que passar esse são lições que aquela Alma que veio naquele pequeno, terá que passar. Todos ali estão dentro da sala de aula, cheio de lições a aprender. Então, cuidar não é amar em excesso; isso não é cuidar, isto é formar um adulto altamente inseguro, medroso, porque não viveu nada; não foi permitido à ele enquanto criança, viver; ser criança.


Cair, levantar, se machucar, chorar, doeu? Na próxima ele vai ter mais cuidado, lhe garanto isso. Porque se vocês observarem mesmo vocês enquanto adultos, vocês só aprendem quando sofrem; quando dói; aí vocês aprendem a lição; aí vocês param para pensar na lição. Vocês gostam muito de pagar para ver, e muitas vezes na grande maioria das vezes, vocês percebem que erraram, mas tiveram que fazer para acreditar que aquilo estava errado.


Então imagina uma criança, que não tem esse discernimento todo? Enquanto ela não passar pelo problema, ela não irá aprender; e digo mais, muitas tem que passar muitas vezes e elas não estão nem aí; elas querem é viver; não querem se deixar ficar amarradas por um excesso de segurança. Então, este é o papel de um pai ou de uma mãe ou de quem quer que seja. Então agora sim, agora sim eu vou falar sobre a adoção.


Eu não vou entrar aqui no mérito do porquê quem adota, resolve adotar. Existem muitos, muitas razões: porque não pode ter filhos, porque simplesmente teve vontade. Não, eu não vou entrar aqui no mérito das razões. Vocês podem perguntar: “Quando a Alma vai encarnar ela escolhe ser mãe adotiva, ser pai adotivo?”. Algumas vezes sim, algumas vezes não, por que a Alma entende que além dos filhos que ela poderá ter, ela poderá ter filhos de outras pessoas junto à ela para que ela passe aquele amor e aquele carinho.


Então, muitas escolhem, sim, na hora da encarnação; falam para o Conselho Cármico que desejam ser mães ou pais adotivos. Então, o Universo se encarregará de trazer aquela criança; de trazer para o seu caminho aquela criança. Estou aqui generalizando, porque muitos adotam adolescentes. Eu vou falar criança na forma geral. Muito bem. Então neste caso, como se dá a escolha do Universo? Não existe a conexão com a mãe; não existe a conexão com o pai; aquela Alma não carrega pacotinhos, nem da mãe e nem do pai, que está adotando; ela carrega os pacotinhos do pai, da mãe, que ela teve; porque ela não nasceu do nada. Ela teve um pai e uma mãe, que por um motivo qualquer, não a criaram.


Muito bem. Então podemos dizer que o Universo faz as mesmas pesquisas, para que vocês entendam, e encontre uma criança que se encaixe dentro das lições que aqueles que vão cuidar dela, precisam passar em relação à ela; e ela da mesma forma as lições que precisa passar em relação a quem irá cuidar dela. É bem semelhante; a única diferença aí, é que não há um amor gerado de um pai, e de uma mãe passado, para aquela Alma; em que ela tem aquela conexão e percebe todo sentimento da geração dela; daquela roupagem. No caso da adoção essa criança não tem essa conexão com pai ou mãe ou com quem está cuidando dela.


Mas aí muitos vão perguntar: “Mas essa conexão não é criada depois?”. É claro que é. Acho que vocês podem entender, que não é o mesmo tipo de conexão, que seria se fosse de uma conexão de sangue; mas é criada uma conexão. A partir do momento em que aquela criança é adotada e passa a viver com aqueles que estão cuidando dela; ali é criado uma conexão. E uma conexão muito forte. Por isso, eu já disse isso, é um exemplo de amor incondicional, porque vocês não sabem o que vem ali. Vocês não sabe quais pacotinhos aquela criança carrega; se ela carrega pacotinhos do bem; se ela carrega pacotinhos do mal, vindo de seus antepassados. Vocês não sabem nada. É como se vocês estivessem com uma venda nos olhos e fossem com a mão tateando e escolhessem uma criança.


Vocês não sabem nada sobre ela; sobre o passado dela. Quando vocês geram um ser, vocês sabem cada um de vocês, quem foi a sua família. Então vocês conseguem analisar exatamente o que será passado para aquela criança; mas quando vocês adotam o que foi passado para aquela criança? Vocês não sabem. Então é um grande exemplo de amor incondicional; aquele amor que não sabe o que vai encontrar, mas que existe; é um amor que ganha força a cada dia com a convivência; com o cuidar. Não são criações fáceis.


Quem adota bebês é um pouco mais fácil, porque vocês conseguem ir educando de acordo com o que vocês acreditam. Mas quando você já pega uma criança um pouco maior, ou mesmo um adolescente, aí é bem mais complicado; porque ali já vem uma Alma muito sofrida, pelo abandono, pela solidão, por não ter tido a figura de um pai, de uma mãe, que a amasse verdadeiramente; porque muitas até têm; mas são retiradas dos seus pais por maus-tratos, por violência. Então perdem aquele sentimento do que é amar um pai, amar uma mãe.


Muitas crianças são extremamente gratas e amam os pais adotivos de maneira também incondicional; e ali é criada uma conexão de amor, para a vida toda. Para o Universo, elas são seus filhos; não importa que não saiu de dentro de você mãe, ou de você pai, não importa; a conexão foi criada; como uma conexão filial. Então, a escolha da alma é bem semelhante, não muda muito. Aí muitos têm algumas crenças: “Ah, não, esta criança foi alguém que eu abandonei no passado e ela agora está voltando para que eu volte a cuidar dela”. A situação em si pode até ser isso; é uma situação que você provocou no seu passado e está voltando agora; mas não quer dizer que seja a mesma Alma.


Existem “n” almas dentro dessa mesma situação, de abandono. Então é fácil escolher uma; não necessariamente alguém que tenha passado já pela sua vida; que você estaria supostamente resgatando um karma; não. Então meus irmãos, não existe diferença. Para o Universo são filhos; apenas as conexões energéticas são um pouco diferentes, porque aquela criança, ou aquele adolescente, ou aquele bebê, não contêm os pacotinhos de quem os está criando; mas a conexão, o amor de pai, o amor de mãe, e filho é criado; e a conexão está aí, como filho. Então não há diferença para o Universo.


Muitos são retirados dos orfanatos, das ruas, e infelizmente estão devolvidos; porque ali não houve um amor incondicional; ali houve uma... uma exibição para a sociedade: “Olha, vejam, eu sou capaz de adotar uma criança”; mas quando ela se percebe que ela não sabe o que irá encontrar; e o que encontra não é aquilo que ela esperava; porque ela esperava uma bonequinha ou um bonequinho perfeito, que ela não tivesse problema algum. “Ah, não é meu filho, então vou ter problema com filho dos outros. Ah, não quero isso não”. E devolve. Ali não houve amor incondicional. Ali houve um grande engano. Imagina o trauma que vocês causaram numa criança; se ela já se sentia rejeitada, ela foi rejeitada mais uma vez, porque ela não conseguiu corresponder à um amor que deveria ter sido dado à ela. Como não era um amor incondicional, ela se colocou de forma contrária.


Então meus irmãos, filhos adotados, filhos de sangue, em resumo são filhos. Não há diferença. Para o Universo não há diferença; porque a conexão entre pai e filho, mãe e filho, é criada. Então não há diferença. Apenas o que aquela alma carrega é que é diferente. Então o que posso dizer a respeito de filhos: amar sempre. Vou falar de forma genérica, porque o maior percentual de abandono é dos pais. Muitos casais, que um dia foram extremamente apaixonados, têm filhos e aí por razões, que não cabe aqui explicar, se separam. E aí o filho passa a ser de um só. O filho nasceu de um só! Porque vocês com orgulho, com a raiva, pela vingança, vocês afastam o filho do outro; para que ele sofra. Vocês usam a criança como moeda de sofrimento para o outro. Afastam aquela criança do convívio do pai, que por mais ruim que seja, é pai. E aquela criança com o tempo, saberá analisar o pai que tem; e também saberá analisar o que a mãe provocou com este afastamento.


Então meus irmãos, como eu disse, foi em linhas gerais, porque o maior percentual é dos pais; mas existem as mães também que abandonam. Da mesma forma. Não usem seus filhos como moeda de troca. Seus filhos não foram gerados por um só; seus filhos têm um pai e uma mãe. Não importa quem seja. Eles têm, e têm direito da convivência com os dois, para que amanhã você não se sinta culpada por tê-lo afastado do outro; ou culpado, não importa. Filho é um pedaço de um, e um pedaço do outro.


Agora existem aqueles casos em que há o abandono, e a criança não tem escolha. Ela foi abandonada e ponto. Aquele pai sumiu no mundo, ou aquela mãe sumiu no mundo, e largou a criança ali. Então, posso afirmar que aquele que abandonou, vai ter uma lição muitos severa para passar; porque ele não cumpriu seu papel de pai. A muitos falam: “Ah, eu não pedi essa gravidez. Então eu não tenho responsabilidade”. O filho não foi feito sozinho. Você quando estava ali também, fez por onde evitar; se preocupou com isso? Aí depois que acontece, não é problema seu? Interessante. Muito interessante.


Então se prepare meu irmão, porque você acabou de fazer uma escolha; e à toda escolha tem um resultado. Não somos nós que castigamos; vocês recebem o resultado das suas escolhas; e você fez uma escolha. E segue o mesmo processo, para uma mãe; que muitas têm os bebês, não se acham responsáveis por eles, e abandonam. Jogam fora. Quer maior falta de amor do que jogar um bebê fora? Realmente, esta mãe não conseguiu nutrir por aquele bebê, nenhum sentimento. Aquilo foi um estorvo para ela durante todo o tempo, e aí quando ele nasce ela joga fora, porque não houve nenhum tipo de amor por aquele ser que estava ali.


Muitos dão a sorte de serem adotados, de serem encontrados, mas muitos morrem. Outra escolha, com consequências, com certeza. Então meus irmãos, ter filho não é brincadeira; não importa como este filho veio para os seus braços. Ele é um filho; se é um filho, tem que ser amado, tem que ser respeitado, tem que ser cuidado, tem que ser educado, tem que ser alimentado, tem que ser livre para viver a vida, dentro dos limites da idade com toda certeza; mas tem que ser deixado viver.


Amem seus filhos. Se não querem filhos, sejam responsáveis. Não tenham filhos, porque “A’ ou “B”, está pedindo. Quem manda na sua vida? É você ou as pessoas da sua família, que ficam lhe cobrando filhos? Quem comanda seu corpo? Quem comanda sua vida? Espero que você responda, que é você. Então não existe isso de ter filho porque o outro quer. Olha o que eu tenho dito aqui, vocês têm que amar primeiro a vocês mesmos, em primeiro lugar. Se você não quer, não quer, e ponto. Todos têm que respeitar a sua opinião. “Ah, eu vou deixar vim, porque a família quer muito”. Sabe qual é o amor que você vai ter por essa criança? Nenhum, porque você está fazendo uma coisa que não é do seu coração; é porque os outros estão pedindo. Então cuidado com o que você já está passando para esta criança; que ela está vindo por vir, não porque você queria.


É meus irmãos, os sentimentos todos estão aí. As lições são passadas pelos sentimentos. E os filhos sentem tudo. Sentem exatamente aonde podem manipular vocês; aonde podem se tornar pequenos tiranos em cima de vocês; ou, eles podem também aprender a amá-los e respeitá-los, e a amar e respeitar o outro. Este que é o grande ensinamento: amar e respeitar à tudo; aos animais; ao planeta; à tudo.


Então sejam pais. Não importa, se vocês não são família; sejam cuidadores dos seus filhos; deem educação, deem amor, deem limites, deem consciência, deem liberdade; liberdade para viver os sentimentos. Não os ponham em uma redoma de vidro, para que eles não sofram, por que eles vão sofrer muito mais quando ficarem adultos.


EU SOU O ARCANJO MIGUEL! Estou aqui, tentando mostrar à vocês, formas de vocês melhorarem como seres humanos e como Almas; que é o que vocês efetivamente são.


0 visualização
  • YouTube
  • Instagram
  • Facebook Social Icon

CNPJ - 29.898.085/0001-59 - Anjos e Luz Terapias - RJ

Copyright 2016 - Anjos e Luz Terapias - Todos os Direitos Reservados à www.anjoseluz.com