Arcanjo Miguel - Sananda - Parte VI

Atualizado: 16 de jun.

Queridos! EU SOU O ARCANJO MIGUEL!


O objetivo de nosso vídeo hoje é comentar sobre a Carta de Sananda número 6. Tenho percebido que vocês entenderam perfeitamente quando orientei, quando comentei, que estas cartas não são apenas para serem lidas; estas cartas são para serem sentidas, entendidas. Não apenas passar os olhos, e colocar num canto como um livro que vocês leram. Eu já sugeri aqui, que vocês levem cerca de pelo menos um mês, entendendo cada uma das linhas que estão ali listadas. Muitas informações estão ali, inclusive nas entrelinhas.


Quando Sananda comenta que é importante que vocês meditem a respeito, que vocês se interiorizem e peçam ajuda para o entendimento, isto é essencial, porque em determinados pontos ali, vocês poderão até acharem que entenderam, mas tem mais coisa por trás. Então se faz necessário esta meditação, para que vocês possam receber de Sananda o entendimento. Não, não pensem que vocês não são merecedores de ter a energia de Sananda ao lado de vocês. Eu já disse que a consciência divina dele está no coração de cada um, fazendo companhia àquela consciência de nosso Deus Pai/Mãe.


Então vocês não precisam chamar Sananda para estar junto à vocês, porque ele já está aí, basta que você simplesmente abra o seu coração e o deixe fluir, o deixa falar, o deixe lhe mostrar o que for necessário. Vou deixar aqui uma pequena ajuda; cada um poderá criar a sua meditação, mas vou lhes ajudar neste ponto. Quando vocês tiverem..., porque existem alguns trechos das cartas, que são perfeitamente entendíveis e fáceis de assimilar porque fazem parte da história de Sananda, nada a se aprofundar ali. Vocês não vão viver a história dele, a história foi dele. Então não há o que vocês ficarem ali, decorando o que aconteceu com ele.


Não, isto não é relevante; os passos dados por Sananda, foram os passos de Sananda, basta que vocês entendam aquela história. Então quando vocês encontrarem um trecho que seja um pouco complexo para vocês entenderem, que vocês gostariam de ter um entendimento maior, de se aprofundar naquilo, então vocês podem iniciar a meditação de vocês, como normalmente vocês fazem, e peguem aquele trecho e leiam; leiam o trecho. Não importa se é longo ou se é curto, se é uma frase ou são várias, não importa, leiam.


Ao terminar a leitura simplesmente fechem seus olhos e digam: “Sananda gostaria de um maior entendimento sobre isto que eu acabei de ler”. Pronto, fiquem nesse estado por algum tempo. Não fiquem esperando ver Sananda, não é este o objetivo. O objetivo é vocês continuarem pensando a respeito do que vocês leram, e subitamente algumas coisas serão encaixadas ali, naquele trecho para que vocês entendam melhor; algumas imagens poderão aparecer.


Aí muitos vão dizer: “E se eu não ver, não ouvir, não perceber imagem nenhuma, nem vier nada em minha mente?”. Você não pode desistir, você ainda está fechado para as verdades que estão ali, então você tem que insistir, você tem que mostrar que você realmente está interessado naquele assunto, mas de coração. Então repita o mesmo trecho quantas vezes forem necessárias, até que um dia vocês entenderão tudo, e aí sim poderão passar para o próximo. Então qual é a orientação para essas leituras: comecem a ler; marquem os trechos que vocês acharem, que precisam ser esclarecidos; façam a meditação diária com cada um deles, até que vocês os entendam. “Ah, mas isso poderá durar mais do que um mês!”. E qual o problema? Eu estou colocando aqui prazo para vocês entenderem? Sananda colocou algum prazo nas cartas? “Olha, vocês têm que entender as minhas Cartas em tanto tempo”. Não, poderá levar anos, realmente. Mas o mais importante é que quando você terminar de fazer todo este processo, você não será mais o mesmo, você terá dado passos muito largos na sua evolução. E você terá caminhado e chegado muito mais longe do que quem não fez nada disso.


Então não pense que é uma caminhada difícil. Tá, não é uma caminhada fácil, digamos que ela seja trabalhosa, não difícil. E se vocês se apegarem diariamente à este processo, vocês vão caminhar bastante. Ah, e o mais importante: aquele trecho que vocês separaram, que vocês acharam importante ser esclarecido, coloquem num caderno, e no dia seguinte a meditação ou posteriormente, não importa, anotem o que vocês sentiram, o que vocês perceberam daquilo ali.


Poderá até acontecer de vocês chegarem à conclusão, que o que vocês haviam entendido, está correto, não falta nada. Então vocês simplesmente anotem: “Foi exatamente o que eu entendi”, para que vocês tenham a resposta daquelas palavras. Um dia em que vocês quiserem voltar: “Peraí que eu já li isso. Eu vou ver qual foi a explanação de Sananda e qual o meu entendimento”; vocês vão lá e vão ver escrito o que vocês colocaram. Então essa é uma sugestão meus irmãos, para que vocês saibam tratar essas cartas adequadamente. E tenham certeza, que cada um de vocês que se mostrar com essa intenção, se mostrar aberto para Sananda com essa intenção, ele ficará cada vez mais perto de vocês. Não tenham dúvida disso.


Então vamos falar um pouco sobre a Carta número 6. Ela começa falando do ego. Sananda demonstra que o ego, não é esse bicho papão que muitos colocam; que o ego tem o lado bom e o lado ruim. O lado bom é um lado da sobrevivência, em que vocês em determinado ponto de suas vidas, querem sobreviver. Então não pensam muito o que existe a volta, pensam apenas em se satisfazer naquele momento, e sobreviver, como no caso dos bebês. O bebê não está preocupado se ele está tirando a sua mãe dos afazeres, se ela está cansada, se ela está exausta; ele quer comer, ele está com fome, então ele chora, ele berra pedindo comida. Então é um exemplo do ego, em que ele pensou somente nele, mas ele é um bebê, ele ainda não tem a concepção de que ele está exigindo de sua mãe, às vezes muito mais do que ela pode lhe dar.