Arcanjo Miguel - O Poder das Cartas de Cristo

Queridos! EU SOU O ARCANJO MIGUEL!


Espero sinceramente, que vocês não tenham esquecido da tarefa do dia de hoje; que foi se manter o dia sem sabor adocicado na boca. Mas preciso fazer um complemento à esta tarefa. Muitos não conseguiram. Então, para aqueles que não conseguiram, digo o seguinte: não se sintam derrotados, nem se sintam menosprezados. O grau de dependência, o grau do vício de cada um de vocês é diferente. Muitos conseguiram fazer sem problema algum; outros realmente não conseguiram, Então é como eu tenho dito aqui, as tarefas, é para que se tornem hábitos, mas como eu mesmo prego aqui, por enquanto tudo no equilíbrio. Não adianta vocês quererem ser perfeitos porque vocês não vão conseguir. Então é tudo muito brando; procurem evitar o açúcar gradativamente, para que os seus organismos se acostumem pouco a pouco. Não adianta ser tudo de uma vez só.


Existe uma dependência isto não é brincadeira, é fato e se vocês deixam totalmente de comer o açúcar, vocês podem até passar mal. Então é assim; tirem dias, escolham e resolvam: “Hoje vou consumir o menos de açúcar possível”. E com isso vocês vão perdendo essa dependência que vocês têm desta substância. É meus irmãos não é fácil, entendo que não é. Aí muitos estão se perguntando porque eu tirei o mel também, visto que o mel é natural; é porque vocês têm que perder o vício do doce, do sabor adocicado, não é do açúcar.


Esse é que é o ponto. Isto engloba os adoçantes que são altamente ruins, prejudiciais a sua saúde. Não, não venham me dizer que são feitos de açúcares das frutas ou açúcares naturais. Parem, eles foram manipulados, foram fabricados; então não têm nada de natural. Então a ideia aqui é que vocês percam essa sensibilidade ao sabor adocicado. Sim, vocês poderão manter com as frutas. Querem comer algo doce, façam o suco de uma fruta. “Ah, mas então eu nunca mais vou poder comer um doce, um pedaço de bolo, uma torta?”. Olha o que vocês pensam!


Vocês foram muito bem, convenientemente envolvidos por esses alimentos, e vocês não se veem parando de comê-los. Eu sei que é difícil, eu entendo, mas a minha proposta ainda não é tirar totalmente de vocês. O que eu sempre tenho dito equilíbrio, equilíbrio. Se vocês forem pouco a pouco tirando o paladar do doce, chegará o tempo que vocês não sentirão mais esse apelo, essa vontade pelo doce. Vocês poderão comer bolo, desde que não tenha açúcar, contenha o açúcar da fruta. A banana dá como resultado bolos saborosos com seu próprio açúcar; o abacaxi, a laranja. Se a fruta estiver doce, qualquer coisa feita com ela ficará doce, sem ter que usar o açúcar. Eu ainda não cheguei nessa classe de alimentos. Então meus irmãos, é um hábito que eu gostaria que vocês fizessem, pouco a pouco. Procurem se adaptar ao sabor das coisas, sem açúcar, para que vocês possam, ir pouco a pouco, ir deixando o vício, porque isso é um vício, não uma necessidade.


Vocês foram ensinados que precisam de açúcares, gorduras, proteínas. Açúcares – açúcar branco; Gorduras – óleos e margarinas; Proteínas – carnes animais. Tudo errado. Porque vocês têm açúcares nas frutas, gorduras nos alimentos. Vocês têm alimentos extremamente benéficos para a saúde e que possuem gordura; aquele que dá o azeite, quer gordura mais saudável? Então para que usar uma outra gordura? Para que comer gordura animal, que é mais venenosa do que todas? Proteínas, vocês têm folhas, verduras que têm proteínas, vocês não precisam da proteína animal. Então vocês foram iludidos de que precisam disso tudo.


Não, não pensem aqui que eu vou tirar tudo de uma vez, e aliás, é preciso que eu diga mais uma coisa: eu não estou mandando ninguém fazer nada, eu estou dando uma sugestão; quem achar que é válida, que quer realmente limpar a sua aura de todas as máculas que esses alimentos trazem, muito bem, faça. Agora, “Ah não isso é bobagem, eu não vou fazer nada disso”; perfeito, não há problema algum, não há problema algum. Continue se alimentando da forma que você sempre fez. Só que eu posso lhes garantir que quem procura sair desses vícios, começa a ganhar velocidade na caminhada, e vocês que não conseguem, não é que vocês não estejam caminhando, estão, mas vão continuar com a velocidade que vocês estão hoje. Então, a decisão é de cada um; vocês fazem aquilo que vocês quiserem. Sem problema. Sem problema algum.


Então hoje o assunto é para falar deste ponto da alimentação, e não, eu não vou começar a semana falando da oitava Carta. Eu não estou com pressa, eu não tenho a menor pressa. Eu gostaria de comentar um pouco mais até onde chegamos com essas cartas. Existem vários grupos de pessoas que estão lendo essas cartas. Aqueles grupos que leem e ficam comparando com o que está escrito em seus livros, e não entendem o porquê de tudo o que está sendo dito ali, não estar dito no livro religioso que vocês usam. Então, eu vou voltar um pouco no tempo. Por que Sananda falava sempre com parábolas? As parábolas são maneiras de vocês dizerem as coisas, que remetem a muitas interpretações. Cada um vai entender de acordo com o seu conhecimento, com o seu coração. Por que ele falava através de parábolas?


Vocês, para quem está lendo as cartas se lembra, que quando ele voltou do deserto, ele voltou com toda a iluminação, todo o conhecimento que ele precisava. E ele tentou passar tudo isso para o povo, mas ninguém acreditava nas palavras dele, porque todos sabiam que existia uma religião a seguir, e que ela era extremamente punitiva. Então, “Como deixar de acreditar naquele Deus que me castigava, que me fazia mal se eu não andasse na linha, para ouvir alguém que chegou agora, falando um monte de coisas diferentes?”.

E as pessoas não aceitavam o que Sananda dizia.


Então ele começou a fazer suas pregações através de parábolas, para que as pessoas pensassem a respeito, e cada um entendia de um jeito. Aí muitos podem perguntar: “Mas por que que ele falava dessa forma, não falava exatamente o que ele ouvia?”. Mas ele falava, ele falava o que ele sabia, e todos riam, não acreditavam nele, não conseguiam entender como que aquele ser falava tanta bobagem, tanta coisa que não era verdade. Então ele percebeu que não ia conseguir colocar na mente das pessoas, aquilo que ele havia aprendido, aquilo que ele havia absorvido no deserto.


Então ele achou melhor colocar por parábolas, porque aí as pessoas pelo menos escutavam e tentavam encontrar um caminho. E foi desta forma, que infelizmente, os homens se aproveitaram, para colocar ali os seus entendimentos; porque como era uma parábola, cada um entendia de um jeito. Então cada um começou a fomentar aquilo que Sananda havia dito, da sua própria maneira, da maneira como achava que era o certo. E aí vieram as distorções.


Não, Sananda não escreveu parábola para criar religiões, ele jamais faria isso, porque ele nunca quis a separatividade, ele sempre quis a união, o amor entre os povos. O homem deturpou tudo, o homem aproveitou-se daquela palavra, posso até dizer, inocente de Sananda, para colocar do seu jeito aquilo que ele havia dito. Chegando ao cúmulo de dizer que Deus mandava matar, que Deus era conivente com mortes, com matança, simplesmente porque algumas pessoas não acreditavam no que era dito. Então, por isso que as cartas atuais não podiam nunca ser reveladas naquela época, porque ele tentou revelar, mas o povo não ouviu, e ele sabia que somente a milênios seguintes, ele conseguiria fazer as pessoas entenderem. Então tudo tem o tempo certo.


Existe um outro grupo que entende que as cartas somente poderiam ser liberadas agora, mas que não concordam com nada do que está escrito ali. Querem fazer valer exatamente o que está nos seus livros religiosos, e comparam que é dito aqui, o que é dito nas Cartas, com o que está nos seus livros. Para estes grupos eu vou repetir o que eu tenho dito aqui já há muito tempo: os seus livros religiosos não foram escritos por Sananda, não foram escritos por Maomé, ou por outros seres de luz. Os livros foram escritos pela mente daqueles que viveram com eles. Então ali tem muito da mente de quem escreveu, e o pior, tem o que foi manipulado ao longo do tempo. Então não tentem comparar, não tentem ficar pegando trechos dos seus livros religiosos e comparando com o que digo, ou com o que Sananda diz nas cartas, porque muita coisa vocês não encontrarão eco, porque aquilo foi escrito pelos homens. É uma pena que vocês relutem tanto a entender isso, que os seus livros religiosos não são uma fonte completa da verdade. Ali tem muita manipulação para que tudo acontecesse como eles haviam previsto.


E tem um terceiro grupo; tem um terceiro grupo, que está lendo as cartas e está incorporando tudo que está sendo dito ali, e melhor ainda, está sentindo a energia de Sananda. Então o que posso dizer para vocês? Aquilo que já disse aqui: essas cartas não são para serem lidas e deixadas de lado. A orientação é ler as cartas, separar os pontos que vocês não entendem e fazer exatamente como Sananda orientou; abrir-se em meditação e pedir a ele que lhes mostre, que lhes faça, lhes ajude a entender o que está escrito ali. E isto acontecerá com toda certeza. Sananda conhece cada um de vocês que está lendo as cartas, porque essas cartas é como se fosse um caminho direto de ligação até ele. Então cada um que abre as cartas, mas que as recebe com coração, com entendimento, com confiança, com certeza do que o que está sendo dito ali é a verdade, cria uma conexão direta com Sananda.


E não, não se surpreendam se vocês passarem a sonhar, passarem a ver algum tipo de conexão com ele. Porque ele está muito satisfeito em fazer isso, em mostrar a vocês que vocês estão realmente conectados com ele. Muitos a princípio, acham que as cartas são difíceis de ter, são, exatamente pela necessidade que vocês têm de se aprofundar no assunto. Se ele simplesmente escrevesse algo ali que vocês entendessem plenamente, o que aconteceria? Vocês iriam ler e deixar para lá. Então mais uma vez, ele quer que vocês se aprofundem, que vocês entendam o que está ali; mas não entendam ouvindo de mente alheia, entendam ouvindo dele próprio.


Então é o que ele sugere: “Meditem, e me chamem, porque eu explicarei exatamente o ponto onde vocês não entenderam”. Então percebam, que não há intermediários nisso aí, ele diretamente virá para explicar a cada um de vocês, aquilo que vocês não entenderam. Então não precisam de desespero: “Ah, eu não entendi nada!”. Muito bem, que ótimo que você não entendeu. Agora, também não é: “Eu não entendi” e deixar para lá, porque aí essa conexão se enfraquece, e você acaba voltando ao mesmo ponto que estava, antes de ler as cartas.


Essas cartas é como se fossem um caminho, uma estrada. Uma estrada que se coloca em paralelo a estrada que vocês estão seguindo hoje para a Ascensão. È como se vocês pudessem... como vocês gostam muito de imagens, eu vou fazer uma imagem para vocês. É como se vocês estivessem naquelas esteiras rolantes que levam vocês mais rápido; então vocês estão na caminhada de vocês, naquela estrada vagarosa, e aí vocês começam a ler as cartas e se aprofundar nelas. Então o que acontece? Vocês são retirados da estrada que vocês estão e colocados numa outra, nessa esteira que fica rolando e levando vocês mais rapidamente.


Aí vocês não entendem, não procuram entender, então vocês voltam para a estrada antiga. Cada vez que vocês se envolvem com a Carta e que querem aprender, querem se aprofundar, e estudam a respeito, e entendem e aprendem, durante este tempo; você está naquela esteira rolante, que está levando você muito mais rápido para a Ascensão. Então cada vez que vocês param, vocês voltam para estrada antiga, e voltam a caminhar com passos de tartaruga, como vocês estavam, ou melhor, como vocês estão em relação a esteira. Aí vocês voltam a estudar, voltam para aquela esteira e caminham um pouco mais. Então é isso que vocês ganham estudando essas Cartas, mas estudando para um total entendimento, estudando para um entendimento profundo, para um entendimento completo; não um entendimento superficial.


Então meus irmãos não desistam. Não desistam deste caminho. O caminho não é fácil, não, não é, o entendimento não é fácil. Mas se vocês seguirem o que Sananda fala, vocês conseguirão entender, vocês conseguirão absorver exatamente o que ele quer dizer; e vocês cada vez mais, vão se iluminar e vão chegar lá na frente mais rapidamente. É o que eu havia dito aqui alguns vídeos atrás, Sananda não é um ser para se falar rapidamente. Eu poderia aqui, ficar um ano falando sobre ele, e teria assunto, porque é um ser completo.


Quando terminarmos as Cartas, continuarei falando sobre Sananda, e vocês vão entender muita coisa; o porquê de muita coisa, porque dele ter vindo para este planeta e fazer o que fez, para implantar esta Consciência Crística no coração de cada um de vocês. E para trazer o seu planeta ao ponto que está hoje. Então durante muito tempo, ainda falaremos sobre ele, e isto vai dando tempo de vocês tomarem novas decisões, de realmente lerem, de realmente meditarem a respeito, e aprenderem sobre o que ele está falando.


Meus irmãos muito do que ele diz ali, eu já vinha falando para vocês. Espero que cada um de vocês absorva, realmente, o que está sendo dito ali. É importante para a caminhada de cada um de vocês. Então sigam o caminhar, pode ser devagar, não tem problema, o importante é que vocês entendam, que vocês leiam e entendam o que ele quis dizer. Amanhã então, falarei sobre a Carta número 8.


EU SOU O ARCANJO MIGUEL! Estou aqui, para ajudá-los nessa caminhada. Para trazer as formas nas quais vocês podem caminhar mais rapidamente.



0 visualização
  • YouTube
  • Instagram
  • Facebook Social Icon

CNPJ - 29.898.085/0001-59 - Anjos e Luz Terapias - RJ

Copyright 2016 - Anjos e Luz Terapias - Todos os Direitos Reservados à www.anjoseluz.com