Arcanjo Miguel - Comentando o Texto Complementar 16

Queridos! EU SOU O ARCANJO MIGUEL!

Finalizando a nossa semana e quase finalizando os Textos Complementares das Cartas de Sananda, ou como muitos gostam, Cartas de Cristo. Muitos ainda não se habituaram em chamá-lo de Sananda, porque não entendem o porquê dele ter outro nome. Mas é o nome planetário, é o nome que o Universo o reconhece. Então é desta forma que nós seres de Luz, o chamamos. Jesus, o Cristo, foi o nome assumido enquanto esteve nesta encarnação, aqui neste planeta. Então prefiro chamá-lo sempre de Sananda. Tenho muito respeito por este ser de luz que tanto tem feito pelo Universo, não apenas por vocês. Não pensem que é exclusividade deste planeta, tê-lo como planetário.

Ele é, o Cristo, em muitos planetas, em muitos astros. Vocês são apenas mais um. Então ele tem um papel excepcional dentro do Universo, com o seu amor imenso, imensurável, e incondicional, ele consegue resolver problemas diplomáticos em todo o Universo. Sim, muitas vezes também precisamos ter alguém com um pouco mais de diplomacia para resolver determinados problemas. Alguém que tenha uma visão um pouco mais humana no amplo sentido da palavra a aplicar naquele momento.

Então hoje falarei sobre o penúltimo Texto Complementar das Cartas de Cristo. Em que ele menciona a postura de todos vocês, em relação às crianças. Desde já, problemas que estão acontecendo em sua Internet, esta palavra deve ser evitada. Então a partir de agora chamarei de pequenos. Quem sabe do que se trata o assunto, vai entender. Quem não sabe aguarde, que no futuro entenderá. Eu não quero criar problemas para o canal, pois este é o meu ponto de apoio para falar. E tudo que foi construído aqui, não será destruído.

Então infelizmente, preciso me comportar, para que não haja problemas. Então vamos lá! O que Cristo comenta, é tudo o que tem sido feito em relação aos seus pequenos. Os pequenos antigamente, não tinham preocupação, brincavam excessivamente, nas ruas; corriam, se socializavam, aprendiam, muitas vezes, coisas ruins; mas cabia e sempre coube aos pais, terem a educação, para lhes fazer ver o que era certo e o que era errado.

Os pequenos antigamente eram criados pelos pais, efetivamente, e posso dizer que até um certo tempo atrás, com rigor excessivo. E que não trazia também muitos ensinamentos, porque eram pequenos criados a base do medo, não do respeito. Eles não tinham voz, tinham que simplesmente acatar o que os seus pais determinavam. Por outro lado, eram pequenos saudáveis, porque brincavam todo o tempo, corriam, tinham muitos amigos à sua volta, físicos; e sempre estavam em várias casas todo o tempo, porque faziam amizade com todos; ou seja, eram pequenos. E assim faziam valer, aquele período de suas vidas em que deveriam ser apenas isso, pequenos.

Com o passar do tempo, as suas vidas foram mudando. A submissão das mulheres, fez com que muitas se rebelassem, contra aquele regime patriarcal, em que elas também não tinham voz. Tinham de ser totalmente submissas, porque não tinham outra escolha; dependiam daquele que sustentava a casa, para comer e para viver. Então tinham como meta de vida, serem apenas esposas e mães, nada mais. Sofrendo com isso, todo tipo de agressões, humilhações, de alguns companheiros.

Claro, que não vou dizer que todos foram assim. Muitas avós que estão aqui, viveram esse período e foram extremamente felizes. Tiveram maridos respeitosos, amorosos, e criaram seus filhos com muito amor e muita paz. Só que muitas, aquelas que efetivamente não suportavam tal subjugo, começaram a se rebelar; a encontrarem formas de sobrevivência, e simplesmente, abrir mão daquela estabilidade financeira que lhes era oferecida pelos maridos. Não estou aqui tentando encontrar culpados. A própria evolução do tempo, fez com que as mulheres acordassem, de tanto tempo de submissão e de inferiorização.

Então para que muitas mulheres pudessem trabalhar, os pequenos começaram a ficar em locais adequados, ou com parentes, com vizinhos, para que aquelas mulheres pudessem trazer o sustento para casa. Porque na sua grande maioria, os homens separados, não queriam mais saber das mulheres, nem dos filhos. Deixavam de ser pais, não apenas maridos. “Se não está comigo, não ajudo em nada”. Deixou de ter filhos. Mas isto é outra história. Muito bem.

O tempo foi passando. As mulheres foram se formando, foram ganhando profissões, foram se tornando mulheres empresárias, diretoras, gerentes, chefes, ou simplesmente trabalhadoras; ganhando o próprio sustento. E cada vez mais, os pequenos foram deixados nas mãos de outros. Por favor mulheres, não entendam com isso, que eu esteja culpando vocês. Não, vocês deram o grito de liberdade, e não haveria outra forma de ser. Muito bem. Mas eu preciso contar essa história, para chegar ao ponto que eu quero.

Cada vez mais os pequenos começaram a ser deixados nas mãos de outros. E aí aqueles que já tinham sentimentos distorcidos em relação a elas, começaram a atuar mais intensamente; que era programar os seus pequenos, para se sentirem extremamente presos a sua mídia. Então muitos programas foram criados, voltados essencialmente para os pequenos, mas que tinham como finalidade na realidade, tornar aqueles pequenos, pequenos robôs. Eles já não queriam mais estar na rua com os amiguinhos, já não queriam mais ficar correndo para lá e para cá. Preferiam estar na frente daquele aparelho, simplesmente fascinados com o que estavam vendo.

E muitos de vocês, mães, que estão aqui agora me ouvindo, passaram por isso. Viram seus filhos terem verdadeira adoração por aqueles mitos que apareciam na televisão. E eram filmes, eram músicas, eram danças, tudo, completo, pacote completo. Então os que criaram tudo isso, viram ali uma grande arma nas mãos. De tirar a inocência dos pequenos, o quanto mais cedo possível, para que eles pudessem lhes servir, da forma que eles quisessem.

Então esses mesmos programas, ditos tão maravilhosos, para os pequenos, começaram a ter um conteúdo extremamente nocivo à eles. Influenciar as suas pequenas, a se tornarem moças, mulheres muito cedo; com pinturas, com comportamentos que seriam de mulheres adultas. E o pior disso tudo, mães, é que vocês incentivavam isso. E digo mais, muitas incentivam até hoje; incentivam suas pequenas até hoje, a se pintarem, a se mostrarem como mulheres; não como pequenas, porque vocês vieram desta geração e não acham nada demais nisso. Só que as suas pequenas estão sendo precocemente evoluídas, para um conteúdo altamente sexual. Foi isso, que todo este movimento criou.

Antigamente, não estou dizendo aqui, que as moças eram santas; não, não eram. Mas não tinham a mesma liberdade, que muitas têm hoje. Vocês podem perceber pequenas, tendo filhos com menos de 10 anos! Isto vem de onde? Isto vem de uma evolução sexual precoce, que foi aplicada na mente delas desde pequenas. É bonitinho, ver as suas pequenas rebolando na frente da televisão, imitando as artistas que estão lá! Enquanto pequenas, elas não têm muita noção do que fazem, mas à medida que vão crescendo, vão tendo a certa noção de que aquilo é um apelo sexual.

Vocês acham extremamente bonitinho, e incentivam seus pequenos namorarem; e incentivam isso. “Ah, o meu pequeno namora desde pequenininho, ele é macho igual a mim”. Muito bem. Você realmente criou o seu pequeno dentro da idade dele; não incentivou nada antes da hora. Porque tudo tem um momento. Para isso existe a puberdade; a adolescência é o momento da transformação, é o momento da passagem infantil para a adolescência, através da puberdade. Mas vocês incentivam antes, porque aquilo para vocês é um mérito. Porque vocês também foram da geração, que isso foi incentivado em vocês.

Então meus irmãos, não entendam que tudo isso foi feito para a evolução dos seus pequenos. Existe uma grande rede por trás disso tudo. Nada foi feito de forma inocente. Então, eu entendo, que no mundo de hoje é complicado para vocês, pais, não permitirem determinadas coisas para os seus pequenos; porque as próprias escolas estão incentivando. Olha o absurdo que chegamos! Os seus pequenos estão com os aparelhos nas mãos desde bebês; porque vocês colocam eles para brincar, para que vocês possam ter um pouco de paz; sem se importar com a radiação que aquele pequeno está recebendo; sem se importar com o que está prejudicando a visão dele. Mais tarde vocês vão chorar, porque as deformações começaram muito cedo. As ações maléficas desses aparelhos, começaram muito cedo em seus pequenos. Ou vocês acham que esses aparelhos são 100% maravilhosos? Não são. Eles emitem radiação, e os seus pequenos estão absorvendo isso tudo.

É meus irmãos, mudar algumas regras que já foram criadas em seu mundo, será complicado. Mas tenham certeza, que nada disso foi feito com o coração puro, porque sempre existiu segundas intenções por trás disso. Aí estão seus pequenos, altamente... não diria maduros, porque não estão maduros, estão com uma visão distorcida do que é a sexualidade. A sexualidade para eles, virou uma coisa banal, como comer um sanduíche ali na esquina. Porque o apelo é tão grande, que nas rodinhas, aquele que não se relaciona sexualmente, é descartado, é apontado, é ridicularizado, porque todos contam quantos relacionamentos tiveram; por noite, por dia, sem se dar conta do que é aquilo que estão fazendo, contra si mesmos. Porque foram ensinados, que aquele apelo é que é o bom, é que é ser da moda, é que é ser esperto; é que é ser aquele, que vai estar sempre em evidência através do sexo. Cadê o amor? Não, isto não existe entre eles. Não existe envolvimento, existe somente o prazer.

Então eu quero que vocês parem e pensem: o que é essa geração que está aí hoje? Que não se ligam a ninguém; não encontram aquele parceiro ou parceira, para se relacionarem realmente. A grande maioria está só, ou vivendo relações constantes e totalmente desconhecidas, ou literalmente só. Porque aqueles que não concordam, com este tipo de vivência, não conseguem se aproximar de ninguém; não se sentem capazes de amar; não se sentem capazes de atrair alguém que pense como eles. Eles são agulhas no palheiro, porque pensam diferente. Então estão sós, isolados.

Muitos de vocês batem palmas, porque seus filhos saem no fim de semana, e voltam quase no início da outra; porque sabem que ele está se divertindo bastante, tendo várias relações sexuais. Tranquilo, sem problema algum. A sua filha da mesma forma. Para você está ótimo, eles estão vivendo a juventude. Realmente, diria para vocês que isto também é tudo muito bem pensado. Porque a juventude hoje, seriam aqueles pilares de luz, na ascensão. E vou repetir: seriam; porque foram totalmente captados, por estas energias. E será muito difícil para eles, retomar a caminhada que eles vieram fazer aqui. Precisarão que haja uma forte onda de luz em cima deles, para que eles despertem. Porque eles estão totalmente embuidos, do sentido do não amor. Amor é uma coisa que não se vive, não existe amor. Porque se existir amor, eles vão ter que abrir mão de ter tantas relações; e aí isso vai ficar chato.

Então vocês conseguem perceber, todo o movimento que foi criado de uns 40 anos para cá? Vocês conseguem perceber aonde vocês chegaram? Porque nessas quatro décadas, existem os pais que já passaram por isso, e passaram a mesma coisa para os filhos. É, é triste, é muito triste, ver o quanto vocês se deixaram envolver por tudo isso. Achando que tudo era bonitinho, que tudo era uma novidade, tudo era uma coisa inocente, mas que de inocente não tinha nada. Foi tudo bem arquitetado, para tirar os seus pequenos da inocência. Para fazê-los seguir um caminho, totalmente do não amor. Fora, da energia deles que está indo embora, porque cada relação inconsequente que os seus filhos têm, que esses jovens têm, que os seus pequenos têm, eles se contaminam cada vez mais. E vão perdendo cada vez mais, aquela energia de seres especiais que estão nesse planeta.

Aí muitos estão aqui já pensando: “E por que que vocês não impediram isso?”. É como eu disse, e tenho dito e repetido: O mal está ao lado. Quem abre a porta são vocês. Por que vocês não viram isso? Por que vocês mães e pais não gritaram? Porque para vocês também foi muito conveniente; porque era uma forma de deixar os seus pequenos quietos, para que vocês pudessem trabalhar; pudessem fazer as coisas que tinham que fazer. Como é até hoje; vocês colocam um aparelho nas mãos dos pequenos, para que vocês possam fazer alguma coisa. “Toma vai brincar aí um pouquinho. Me deixa em paz!”. É isso que vocês fazem, não neguem; é isso que vocês fazem.

Então meus irmãos, está aí o estrago, o estrago está feito. Muitos podem me perguntar: “Existe solução?”. Neste momento não. Por que, de que adiantará, vocês proibirem os seus pequenos, de não pegar nos aparelhos em casa; se eles vão para as escolas e as escolas colocam na mão deles? Aí sim, cabe à vocês, fazerem um movimento junto às escolas: “Não, isso não queremos para os nossos filhos. Não é o momento ainda deles terem contato com isto”. Aí os grandes pedagogos, vão sempre ter um argumento: “Não, mas isto aguça a inteligência do pequeno. Precisamos desenvolvê-lo!”. Sim, está aí o desenvolvimento, aonde está chegando o desenvolvimento.

Pequenos extremamente sexualizados, chamando a atenção daqueles que já são pervertidos por natureza. Porque suas pequenas, se tornaram tão sexualmente avançadas, que agem como mulheres; sem saber muitas vezes, o que podem estar provocando. É, muito triste; muito triste tudo isso. Mas infelizmente foi um grande plano e que deu certo.

Então aí, os jovens que seriam os pilares de luz, totalmente degradados. Não somente pelo sexo, mas pelas drogas, que... tudo vem junto; é um grande pacote: fumo, álcool, drogas sexo, é um grande pacote. Vem tudo junto, tudo misturado, um não existe sem o outro. É, mas tudo tem fim. Eu só digo a vocês que pensem a respeito, de tudo que eu disse aqui hoje. E breve, vocês terão a verdade sobre tudo isso. Não foi apenas um entendimento que eu tive, que me fez falar isso tudo, vocês saberão a verdade. Ela está muito próxima, e vocês entenderão cada palavra do que eu disse aqui.

Ainda há tempo. Ainda há tempo de vocês pararem de tornar os seus pequenos, adultos. Eles são pequenos e como pequenos, têm que ficar até a puberdade. Aí sim, eles podem começar a ter atitudes para a mudança; mas até lá, deixem seus pequenos serem pequenos. Não os crescam antes do tempo; não os tornem extremamente sexuais antes da hora; eles terão o momento disso, terão a sua caminhada. Isto vocês podem fazer.

Parem com esses comportamentos de acharem, que provocar o sexo nos seus pequenos cedo, para que não se tornem desvirtuados, como vocês dizem, vai adiantar de alguma coisa. Porque se aquela alma, for uma alma diferente do gênero que ela veio no corpo, ela virá para fora, querendo você ou não.

Respeitem os seus pequenos, respeitem o que eles são e o que eles serão. Ame-os incondicionalmente. São seus filhos, independente do que serão. Ali tem um ser que depende de vocês: pais; pai e mãe. Então sejam, pai e mãe, daqueles pequenos. E o amem, os amem incondicionalmente. Agora amar, não é permitir tudo. Amar é dar liberdade vigiada; é dar liberdade, mas com muita conversa, com muita orientação, para que os seus pequenos aprendam, de pequenos, o que é o correto. Mas não antes do tempo, tudo no tempo certo.

EU SOU O ARCANJO MIGUEL! Estou aqui, cada vez mais tentando fazer vocês pensarem. E ainda tentando, fazer com que muitos, consigam evoluir!



358 visualizações

CNPJ - 29.898.085/0001-59 - Anjos e Luz Terapias - RJ

Copyright 2020 - Anjos e Luz Terapias - Todos os Direitos Reservados à www.anjoseluz.com