4o. Encontro da Jornada da Chama Violeta - Saint Germain

Atualizado: 18 de jun.

Queridos irmãos, é com muita alegria, muita alegria, que estou aqui, mais uma vez!


Devo dizer para vocês, aproveitando o assunto que estava sendo comentado aqui, agora! Não se julguem! Não se condenem! Não sintam raiva! Eu posso dizer para vocês que esta jornada é uma jornada mágica, em que, cada decreto, cada linha, cada palavra, cada letra, contém uma energia própria. E quando acontece de vocês errarem, esquecerem, repetirem, não importa o motivo, não tentem consertar, apenas achando que: “Poxa, vou ter que começar tudo de novo!” Apenas, eu digo que, cada um de vocês, não assinou nenhum contrato que tem data para finalizar. Vocês assumiram um compromisso com vocês mesmos de participarem da jornada. Não houve obrigação! Não houve nenhuma determinação à vontade, o coração de vocês é que fala mais alto. Então, o fato de vocês errarem, de vocês burlarem as regras, mesmo que sem querer, sem se aperceber, tem um motivo. Nada, nada acontece por acaso! Eu digo que voltar é uma forma de “Oi! Preste mais atenção em mim! Preste mais atenção no que você já leu. Preste mais atenção no que você leu na sua vida”. Então, é o que eu disse, é uma jornada mágica em que ela percebe o coração de cada um, percebe a necessidade de cada um. E se a jornada perceber que é importante voltar algum ponto que passou despercebido, que passou sem prestar muita atenção, ela própria fará com que vocês errem, com que vocês recomecem.


Para aqueles que conseguem manter tudo direitinho, eu digo a vocês que: O porto seguro está chegando, vocês estão quase lá. Mais um pouco e terão um porto seguro, quando acontecer isso vocês poderão voltar para este porto seguro, não mais para o começo. Mas, quem estava no começo ou quem estava um pouco mais à frente e teve que voltar, está tudo certo! Não há prazo para finalizar. Digamos que haja alguém que faça toda jornada sem ter repetido, sem ter errado, feito dentro do prazo necessário; eu vou dizer que serão poucos. Não fiquem muito entusiasmados: “Ah, eu não errei ainda! Ah, eu estou fazendo tudo certo!”, olha o ego! Você não acabou ainda. Então, não ria, nem deboche de quem teve que recomeçar porque amanhã poderá ser você. Então, todos vocês estão sujeitos a voltarem para o início. E eu diria que é muito provável que todos vocês voltem para o início. Em algum ponto desse pedaço, até o porto seguro, vocês até poderão estar no último dia, antes do porto seguro e terem que voltar tudo. Não há limite, não há prazo, não há pressa. Cada decreto tem que ser entendido, tem que ser introspectado para que aquilo fique armazenado na mente de cada um de vocês. Ler apenas por ler, funciona? Funciona, porque a energia que está ali, não tem jeito, ela vai atingir quem está lendo, não tem como fugir disso. A menos que o seu coração esteja tão fechado, esteja tão deprimido, tão escurecido que você poderá ler e nada ver, e nada sentir, mas este será um momento da caminhada. Sempre que você, apenas passar os olhos, ler, seja com os olhos, seja em voz alta, aquela energia passa daquelas palavras para o seu campo de energia e passa a atuar nele, todo tempo. Então, não riam, não achem absurdo, não critiquem, não apontem o dedo para aqueles que estão voltando. Você ainda tem uma caminhada grande pela frente, quem garante que você também não voltará?


E posso dizer aqui que esse é o grande segredo desta jornada, é fazer vocês voltarem, várias vezes. Sim! Muitos voltarão várias vezes. Para que efetivamente entendam, efetivamente vivam cada palavra dos decretos. Então, não há condenação, não há raiva, não há tristeza, não pode haver nada. Errou? Repetiu? Esqueceu? Volte, naturalmente. E não precisa ficar perguntando, “Ah, eu errei. Preciso voltar?”, isto é ego! E aquilo que vocês costumam dizer: “Ah, poxa vida, dá um jeitinho para eu não voltar!” Não existe esse jeitinho. Errou, repetiu mais de um decreto 7 vezes no mesmo dia, está errado, tem que voltar. Repetiu o mesmo decreto dois dias seguidos, errou tem que voltar. Esqueceu de fazer o decreto um dia, errou, tem que voltar. Não adianta vocês tentarem encontrar subterfúgios para evitar essa volta. Porque aqueles que insistirem em ir para frente, sabendo que não podiam, eu garanto a vocês que a jornada fará vocês errarem muitas vezes, até que você se dê conta de que você é humano e que pode errar. E a própria jornada fará você ir lá para o começo, mesmo que você não queira. Não achem que vocês estão sendo julgados, que vocês estão sendo observados…”Ah, olha lá! Aquele ali voltou 4 vezes! Ah, aquele outro voltou 10 vezes! Ah, coitado!” Não existe isso. Não estamos aqui julgando quantas vezes vocês erram. O meu intuito nesta jornada não é este. O meu intuito é exatamente fazer com que vocês vivam, com que vocês sintam, com que vocês absorvam cada decreto. E se está ruim de entender? Se está ruim de guardar? Volta, para ler de novo com mais atenção, talvez com uma outra energia e passar a entender tudo facilmente.


Os capítulos do livro são fáceis de serem entendidos. Se algum de vocês não está conseguindo entender, não está fazendo corretamente. Porque o capítulo é para ser lido após a meditação, então, se você está lendo e não está entendendo, faça a meditação várias vezes antes de ler o capítulo, até que você entenda. Não há nenhum tipo de julgamento para aqueles que não conseguem entender pela primeira vez que lê o capítulo. Na época em que escrevi tudo que está escrito neste livro, vocês podem perceber, que era uma linguagem extremamente rebuscada, era uma linguagem muito perfeita, não é a linguagem coloquial que vocês usam, hoje. E esta linguagem para muitos é difícil de entender. Que tempo de verbo é aquele? Que palavras estranhas e difíceis são aquelas? Então, digo a vocês que não se apeguem aos tempos verbais usados no livro, procurem entender o que está escrito, não fiquem buscando o porquê de palavras tão complexas. Naquele tempo, era assim que se falava, era uma linguagem extremamente formal, extremamente erudita, não a forma como vocês falam hoje. Eu diria que eu aprecio muito aquela forma de falar. Mas ficaria bastante estranho, até para quem nos ouve, para quem são os nossos canais, ouvir aqueles tempos verbais, eu diria que sairia muita coisa errada. Então, precisamos também nos adaptar aos novos tempos. Não me sinto mal falando normalmente como vocês falam. Também não fiquem achando que o que está escrito é uma palavra que vocês nunca viram, uma palavra de outro mundo, apenas é um tempo verbal e a pessoa verbal que torna as palavras de difícil conjugação, onde vocês não estão acostumados (ah! Com certeza não!). Então, leu o capítulo e não entendeu? Faça a meditação novamente. Leia novamente o capítulo e peça a minha ajuda.


A jornada, meus irmãos, é para isso! A jornada é um estudo. A jornada não é apenas para ler e deixar para lá. A jornada é simplesmente sabedoria, é trazer a vocês a verdade do poder que todos vocês possuem dentro do EU SOU. Poder este que não foi descoberto por mim. Eu, apenas, tive a missão de preparar as gerações vindouras, daquele tempo, dentro deste novo conceito, um conceito. Um conceito de puro poder, em que vocês podem mudar suas vidas, mudar suas formas de pensamento, mudar suas formas de viver, dentro deste conceito do poder do EU SOU. EU SOU é Deus Pai/Mãe. EU SOU é o poder do Universo. EU SOU é o infinito. Não há uma designação perfeita e completa do EU SOU. EU SOU é tudo. EU SOU está em tudo e em todos. É a energia Divina. É a vontade Divina. É o amor Divino. É a presença Divina. É o guardião de suas almas. Então, o que é o EU SOU? É simplesmente uma explosão de poder, uma explosão de mudança, uma explosão de transformação. Atrelado a tudo isso, a minha Chama Violeta que tem o poder da transmutação, tudo se encaixa, tudo se completa e tudo se torna tão f